10 de outubro de 2018
10 de outubro de 2018

Olá, caro leitor. Bom dia!
‘Carpe diem!’

– Hoje, quarta-feira, dia 10 de outubro, é comemorado o ‘Dia Mundial da Saúde Mental’;​

– Também hoje é comemorado o ‘Dia Mundial Contra a Pena de Morte’;​

– A data também é de celebração do ‘Dia Mundial do Lions Clube’;​

– Hoje é o ‘Dia Nacional de Luta Contra a Violência à Mulher’.​

Cláusula de Desempenho​

A atual Cláusula de Desempenho, aprovada na última reforma política, fez suas primeiras vitimas em 2018. PCdoB (9), PHS(6), Patriotas(5), PRP(4), PMN(3), PTC(2), Rede(1), PPL(1) e DC(1) elegeram ao todo 32 deputados federais, que deverão mudar de legenda se quiserem atuar no Parlamento, pois a dita cláusula barrou seus partidos. ​

A cláusula de desempenho preconiza, para 2018, ‘no mínimo 1,5% dos votos para deputado federal em todo o país com 1% (um por cento) dos votos em, pelo menos, 9 (nove) unidades da Federação. Também cumprem o dispositivo as siglas que elegerem 9 (nove) deputados federais distribuídos em um mínimo de 9 (nove) unidades da Federação. Até 2030, a cada disputa, esses requisitos vão aumentar”.​

Cláusula de Desempenho (2)​

Parece pouco, mas a cláusula de desempenho reduziu de 25 para 21 os partidos com representação na Câmara. Sem a cláusula, eles seriam 30! Em 2022, a cláusula de desempenho sobe para 2% (dois por cento) dos votos em todo o país.​

Detalhe: o processo de racionalização do número de partidos no Brasil é um caminho sem volta. Claro, vai ser demorado e penoso, mas definitivo. O resultado das eleições deixou muito claro que os eleitores se cansaram dos velhos políticos e de seus hábitos sem conexão com a realidade. O atual modelo faliu.​

Renovação​

Como sabemos, dois terços dos senadores tiveram que disputar a reeleição. Como a formação daquela Casa é de 81 senadores, 54 deles tiveram que ir à luta. Bem, somente oito (8) deles conseguiram a façanha de se reeleger e, portanto, o Senado contará a partir de 2019 com 46 (quarenta e seis) novos senadores.​

Renovação (2)​

O Congresso Nacional e as Assembleias Legislativas serão outros a partir de 2019. Alguém poderá argumentar que seriam outros mesmo sem o cansaço do eleitorado – que mandou de volta à planície um monte de Requiões e Jucás, Kaeferes e Claudias da vida – mesmo sem a cláusula de desempenho, que já se faz presente. O argumento, no caso, é frágil, haja vista o fato de que todo grande incêndio começa, na verdade, bem pequeno. São as providências em tempo hábil o que define o tipo de desdobramento que qualquer evento terá.​

Fofo​

Repercutiu em ‘O Antagonista’: Beto Richa culpou a Justiça por sua ruína eleitoral. Ele afirmou que “a operação da PF da qual foi alvo durante a campanha foi uma ‘pá de cal’ em sua candidatura: ‘O benefício é que vou poder cuidar da minha vida. Só cuidei da dos paranaenses’.​

Richa anunciou ainda que não estará mais na vida pública”. Oremos.​

Oráculo​

“Não são os grandes planos que dão certo no Brasil, mas os pequenos detalhes”.​

De Stephen Kanitz, guru brasileiro da administração.​

Contato: idgar_dias@hotmail.com​

Acesse a Gazeta Diário na internet em www.gdia.com.br​

Tenha uma ótima quarta-feira, leitor! Até amanhã, ok?​

Sorte e saúde sempre!​

Share

GDIA