MPF ajuíza ação civil pública para garantir repasse de recursos ao PNI
5 de outubro de 2018
5 de outubro de 2018

Debate
O Corvo infelizmente não viu, logo fica difícil fazer comentário. No mais, no horário do encontro dos presidenciáveis, a coluna já estava fechando. Mas como a notícia era a da “não” participação do Bolsonaro, que graça haveria em um debate assim? Pense: debate com candidatos à presidência, e o cara que está na ponta fica fora? Nem deveria haver debate.

 

Sem mosquito
Corvo, Deus me livre usar uma expressão assim, mas parece que a tal facada mais ajudou o Bolsonaro do que prejudicou. Lucrou, e muito, ao sair de cena; acabou como vítima e não entrou em atrito com os rivais. Aposto que se estivesse na ativa, corria o risco de não ir ao segundo turno. É profético: em boca fechada não entra mosca.
NPR (O leitor pediu para não ser identificado.)

O Corvo responde: ficar quieto tem sim as suas vantagens. Aliás, o Bolsonaro nem tempo de televisão tinha, se comparado aos demais. Mas esse silencio deve acabar nos próximos dias. Se for eleito no primeiro turno, falará pelos cotovelos como “presidente eleito”; se a eleição for levada para um segundo round, teremos o Bolsonaro em condições de tempo similares ao Haddad, ou quem entrar na disputa. Mas sobre a facada, isso sim foi uma tragédia e que jamais deveria ocorrer em processo político.

 

Perigo
Corvo, responda sim ou não: devemos nos preocupar com o resultado das eleições? É que tem muita gente “botando” medo na população. Dizem que se o Haddad ganhar, a direita não vai deixar assumir; e se der Bolsonaro, a Venezuela invadirá o Brasil, para apoiar uma luta armada. Diga sim ou não, Corvo!
Geraldo Bueno

O Corvo responde: “Não”.

 

Complemento
Dando sequência aos questiona-mentos do leitor Geraldo Bueno, este Corvo não acredita que os brasileiros cometeriam uma sandice dessas, de causarem uma guerra civil por causa do resultado eleitoral. Vai haver esperneio sim, mas uma semana após o resultado as coisas se encaixarão. Vencerá a democracia. Sobre uma invasão para apoiar a esquerda, é mais fácil a torcida do Corinthians invadir a Venezuela e destituir o Nicolás Maduro e, com isto, formar uma “nação” corintiana de fato, do que os venezuelanos pegarem em armas para defender o PT. A Venezuela já está invadindo o Brasil, por meio dos seus cidadãos famintos, abandonados pelo Estado. É triste isso.

 

Lobato x Bobato
A encrenca não é pequena, mas como os dois são candidatos, fica um tanto complicado contemporizar e formar juízo. Taí uma briga boa para comentar e assistir na segunda-feira.

 

Bobato e Lobato
E os dois deram de visitar a redação do Gazeta Diário na tarde de ontem. Por pouco não se cruzam no hall do jornal, e aí sim corríamos o risco de cobrir um UFC, ao vivo, para o deleite dos iguaçuenses. Nada disso, o Corvo é exagerado.

 

Intervenção
Dona Cida mexeu fundo na ferida do pedágio e, se conseguir uma intervenção, pode fazer uma colheita considerável de votos. Faltam apenas dois dias para a eleição, e o tema “pedágio” é muito impactante.

 

Resposta
É o jogo do tudo ou nada, porque se a governadora intervir dificilmente as concessionárias conseguirão reverter o tema na Justiça até o domingo, 7 de outubro, quando os eleitores apertarão as teclas das urnas. Se a Cida emplacar um segundo turno, a encrenca dos pedágios será provavelmente a responsável pelo sucesso da governadora.

 

Caras feias
O Corvo viajou nos últimos dias e no vaivém parou várias vezes nas estações de serviços que ficam ao lado das praças de pedágio. Foi o suficiente para ouvir as pessoas e notar as expressões de desconforto, sobretudo após as revelações e prisões de agentes do governo, supostamente envolvidos em corrupção com as concessionárias.

 

Xingamentos
Um grupo de funcionários que atua na cobrança nas guaritas estava reunido comentando as agressões por parte dos usuários. Eles não são os responsáveis pelas empresas que exploram os pedágios, tampouco cometem crime algum, mas como estão na linha de frente pagam o pato. “Chamam a gente de tudo, e nada podemos fazer porque sabemos que os preços são elevados, pelo serviço que as empresas devolvem, e agora acontece isso tudo? A situação é insustentável”, declarou um funcionário.

 

Disparate
E este Corvo fez questão de analisar bem o trecho entre o final da duplicação em Matelândia e o surgimento de uma terceira faixa, que só existe muito depois de Cascavel. Isso é o fim da picada, porque com os desvios de grana, entre outras funções corruptivas, os motoristas não poderiam passar tanto sufoco. É bem provável que os acusados acabem pagando pelas mortes que ocorreram em vários locais. Sim, independentemente da imprudência dos motoristas, muitos acidentes ocorreram devido às deficiências na pista. É o caso da Kombi que vitimou os alunos da Unila em Céu Azul. Um pedágio que é um assalto, e nada de obras!

 

Viaduto
Pois não é que as máquinas estão lá pelas bandas da entrada da cidade?! Muita gente apostava que o viaduto só sairia do papel após as eleições, ou ficaria na promessa, como tantas outras que jamais vingaram. Leia-se a segunda ponte.

 

Agitação
Aos que esperavam suplantar o período eleitoral sem ver cabos eleitorais nas esquinas, houve um pouco de frustração. Há um pouco de tudo em matéria de propaganda de campanha, e cada um tenta convencer o eleitor ao seu modo. Calma pessoal, não vivemos na Noruega, onde as coisas são bem mais calmas. Amanhã é que o bicho vai pegar para valer.

 

Tudo rosa
Outubro começou agitado em relação às campanhas de prevenção ao câncer de mama. As eleições atrapalharam um pouco, mas isso não mexeu com a meta dos voluntários.

 

Tudo azul
E após o Outubro Rosa, chegará o Novembro Azul, com as campanhas de prevenção ao câncer da próstata. Este Corvo leu uma crônica futurista, na qual a humanidade buscou formas mais radicais de prevenção: ao superarem o período de procriação, homens se submetiam aos procedimentos de retirada da próstata, e as mulheres extraíam as mamas e o útero. Será que um dia chegaremos a isso? Até lá o melhor é fazer os exames preventivos.

 

Sopradores
Caro Corvo, o caso do uso dos sopradores de folhas e detritos é de fato uma tragédia, mas vou adiantando que não há uma legislação específica no Brasil sobre o uso dessa ferramenta medonha. O fato é que deveria sim ser proibida, porque causa males à saúde — e isso vai do barulho, ao pó que espalha e à queima de gases poluentes. Imagina uma moto ligada no jardim da sua casa o dia inteiro? Asseguro que não vai demorar para condenarem essas máquinas. No Jardim Botânico do Rio de Janeiro, por exemplo, estão limitando os sopradores, porque além de incomodarem os visitantes afugentam pássaros e deixam o lugar com cheiro de óleo queimado.
Narciso Malheiros Feitosa

O Corvo responde: o soprador é uma máquina dos infernos e que não limpa absolutamente nada. Assopra tudo o que há no chão e faz a poeira subir em locais de difícil acesso. É uma tecnologia em favor da preguiça e que pode causar danos aos usuários, a começar pelo aparelho auditivo. E as pessoas que nada têm com a “limpeza”, na verdade uma “emporca-lhação”, é que acabam sofrendo. Vassoura que é bom, deixaram de lado. Segundo este Corvo apurou, há um movimento em Foz para abolir os sopradores, e ele não é pequeno. Não faz tempo, este Corvo parou num semáforo e alguém estava usando o soprador, para limpar o meio-fio. Resultado: a sujeira entrou toda pela janela do veículo, e o corvinho que estava na cadeirinha, no banco traseiro, ficou todo empesteado. Até bitucas de cigarro apareceram em cima do banco. Que palhaçada é essa? Vamos aposentar essas porcarias que não servem para nada!

 

Fonte da juventude
Peço licença ao Corvo para inserir uma notinha, assinando-a inclusive: ontem tive o enorme prazer de encontrar o Oscar Alliana no Fórum. O interessante é que ele não mudou absolutamente nada, mesmo na altura dos 82 anos. Conversamos longamente sobre muitas coisas do passado, refiro-me aos precisos 40 anos de amizade, pois em 1978 cheguei a Foz pela primeira vez. Lembrei-me do camping por ele administrado, o Mini-informativo e tantas outras muitas passagens, pois considero seu Oscar uma fonte fidedigna da nossa história. Ele possui uma lucidez impressionante e detalhada sobre os fatos. É um grande iguaçuense. E foi no bate-papo que me ocorreu a razão dessa juventude eterna do Oscar: ele até hoje mata a sede com soda e, de vez em quando, dois dedos de um bom vinho! Alliana era o fabricante da Soda Cataratas, uma água gaseificada, armazenada em sifão, muito consumida na cidade, tanto que numa época em que havia poucas linhas telefônicas em Foz, três eram dele, para atender à demanda de entregas! Vai ver é esse o segredo da juventude, além, é claro, dos pensamentos positivos, amizades e trabalho o tempo todo. Viva o Oscar!
Rogério Romano Bonato

Share

GDIA