3 de setembro de 2018
3 de setembro de 2018

Na telinha
O Corvo conversou com várias pessoas para avaliar o interesse perante os horários eleitorais. Em Foz do Iguaçu, quase todos os consultados admitem que ligam o televisor esperando ver os candidatos da cidade. O caso é que, em matéria de aparição, eles andam meio raros ultimamente.

 

Nem querem gravar
Alguns candidatos acreditam tanto na eficiência das redes sociais que chegam a desprezar a oferta dos partidos. Nem se dão ao trabalho de encarar a fila de gravações. Quem conhece do assunto diz que a televisão ainda é muito eficaz.

 

As aparições
O Corvo deu uma esticada de pescoço nos horários eleitorais e também viu algumas “pílulas”, como chamam as inserções ao longo da programação. Há assunto de sobra para comentar aqui, a começar pelos “nomes de guerra” de alguns candidatos. Uns são sugestivos; e outros, ridículos. Mas em política tudo vale.

 

Vitorassi
Ele apareceu no final de semana, no bloco do PT. Dilto estava diferente, sem a barba, a figura do bebê Johnson; mas falou pausada e claramente. Deu o recado. O PT usa um artifício gráfico interessante: insere uma estrela no mapa do Paraná localizando a origem do candidato.

 

“Nome errado”
Erraram o nome do candidato Fernando Giacobo no “GC”, ou insert. Digitaram “Giacabo”. Parece algo inofensivo, mas considerando a quantidade limitada de aparições, o candidato não deve ter gostado; alguém na produção teve a orelha puxada.

 

Sem Lula
“Isso pode ser uma caixinha de surpresas”, disse um amigo ao Corvo, fazendo referência à substituição de Lula, o preso mais ilustre de Curitiba. Segundo ele, poderá haver surpresas nas próximas pesquisas, porque o nome de Fernando Haddad ainda não estava consolidado com candidato.

 

Transferência
Se Lula vai ou não transferir os votos, saberemos mais adiante. O fato é que sua imagem está sendo usada e abusada na propaganda partidária do PT e de alguns políticos aliados. Decerto o Partido dos Trabalhadores ainda não havia recebido a notificação do TSE. Mas como deixarão de usar a figura de um ex-presidente? Isso ainda vai resultar em muita encrenca nos tribunais. Há a interpretação de que Lula não pode pedir votos para si, pelo fato de não ser mais candidato, mas e para os outros?

 

Paraná monárquico
Impressionante a quantidade de filhos de políticos pedindo voto. Este Corvo contou pelo menos uma dezena. É a tal política de “pai para filho”, mas em alguns casos isso já remonta quatro gerações. Bom, é assim em todo o país, há muita gente literalmente nascendo “da” e “na” política.

 

Sem ONU
A decisão do ministro Edson Fachin, de entender a Organização das Nações Unidas como referência no imbróglio lulista, está sendo contestada nos quatro cantos do Universo. Impressionante com alguém passa de herói a vilão em razão de uma manifestação. É o ponto de vista técnico de um jurista, como poder de decisão de ministro. É em razão de posições assim que há vários votos no ambiente de uma discussão dessa magnitude. Fachin teve várias participações importantes na luta contra a corrupção.

 

Painho tá no “ressorto”
Um cidadão folclórico e conhecido por defender as facetas políticas do ex-presidente Lula fez muita gente desmanchar-se de rir no sábado chuvoso, sob a lona respingante do boteco. Hilário, o cidadão que chamam de Vitória, pela origem capixaba, disse: “Não tem uma suíte tão bacana nessa cidade, igual à que painho tá morando lá em Curitiba. É um ‘ressorto’ de primeira grandeza, com tudo automatizado; o problema é que a bebida só se for pelo zap-zap”.

 

Bolsonaro no alvo
Certamente haverá uma reação jurídica por parte dos advogados de Jair Bolsonaro em razão da utilização de gravações nas quais ele aparece destratando mulheres. Nitidamente são materiais antigos e usados em outras campanhas. A diferença é que Bolsonaro não disputava a Presidência da República. No mundo da política é assim: quem está na frente apanha. É bem possível que ele consiga retirar as imagens dos programas opositores.

Sucesso total
A ópera Rita foi prestigiada por um público bem restrito, mas de muita qualidade. Cerca de 40 convidados não piscaram durante a apresentação, na verdade muito elogiada pelo público, atores e por ninguém menos que Gehad Hajar, diretor do Centro Cultural Teatro Guaíra. A iniciativa dos curadores de “A Casa” deve impulsionar outras produções no mesmo nível.

 

Igual Fórmula 1
Ainda é muito cedo para dizer que este ou aquele será o presidente. O quadro possui o mesmo aspecto nas disputas pelos estados. Ainda há mais de 30 dias até as eleições, e muito pode acontecer. Historicamente, a opinião pública é volátil em situações que envolvem o voto. Como nas corridas automobilísticas, há situações em que um retardatário acaba chegando em primeiro.

 

Alvaro pontual
Em visita a Foz, o candidato Alvaro Dias foi profético: “Os pleitos de Foz só serão atendidos se for eleito alguém daqui”. E é bem assim que acontece; quem não tem candidato caça com gente de outras praças.

 

Frieza
Houve épocas que havia muito mais barulho político nas ruas do que pelo momento. Vai ver foi a chuva e o friozinho chato que afastaram os candidatos e seus intrépidos cabos eleitorais dos iguaçuenses, pelo menos durante o final de semana. Os resquícios de campanha apareciam apenas nos vidros traseiros dos automóveis.

 

Dr. Brito
Ele parece estar com a faca nos dentes ao se defender das acusações. Nega veementemente ter feito algo errado enquanto vereador. Vai precisar de muito esforço e paciência ao lidar com a situação, afinal de contas o MPF diz que dez crimes teriam sido praticados por ele e outras pessoas. Um advogado disse ao Corvo que pode haver novidades na pendenga. Vamos aguardar.

 

Mapa de Foz
Ele será concluído com base no aumento da área urbana e diminuição da rural. Mapas, na atualidade, não devem ser difíceis como antigamente, quando tudo era realizado na superfície e com instrumentos de topografia. A cartografia era um ofício dos complicados, sobretudo na questão das demarcações. Hoje é só olhar o satélite.

 

Conversão
Algumas pessoas não estão dando a mínima para o final do sinal analógico. Como a conversão é simples, tal qual as infinitas dicas o tempo todo por parte das emissoras, o povo não nega a raça e deixa tudo para a última hora. Brasileiro é mesmo assim, vai mexer na antena depois que o sinal evaporar.

 

Aniversariante do domingo
Aqui vai o abraço apertado e o desejo de muitas felicidades ao amigo Dimas César Bragagnolo, competente profissional que atua em favor da ACIFI, leia-se dos associados, pois sempre recebe todos com muita atenção redobrada. Muitos e muitos anos de vida, Dimas!

Share

GDIA