6 de agosto de 2018
Guia ensina convivência pacífica com onças do Parque do Iguaçu
7 de agosto de 2018

Candidato de Foz
O PDT do Paraná encontrou uma tábua de salvação após Osmar Dias desistir de sua candidatura. Lançou na última hora Nelton Friedrich para o Governo do Estado e vai de chapa pura para a eleição proporcional, em lista encabeçada por Gustavo Fruet. A escolha foi boa porque Nelton tem pedigree: foi deputado constituinte, secretário de José Richa e diretor de Coordenação da Itaipu Binacional. Nelton mora em Foz do Iguaçu há mais de uma década.

 

Brasil falido
Quase sete mil brasileiros estão cursando Medicina na Argentina, principalmente em Buenos Aires. No Paraguai são mais de 20 mil. Por que nossos estudantes estão migrando para os países vizinhos? Porque os cursos são bons; e o preço, melhor ainda. Aqui a mensalidade passa dos R$ 6 mil. No Paraguai, cerca de R$ 1 mil. A ganância dos donos de nossas faculdades não tem limite. E o pior é que o governo deixa isso acontecer.

 

Não cola
No velho e bom estilo demagógico, Álvaro Dias convidou Sérgio Moro para ser ministro, na tentativa desesperada de cabalar votos. O povo não é mais bobo e sabe que esse tipo de jogada é demagogia pura. Se Moro quisesse entrar na política, seria candidato a presidente e ganharia a eleição. Além do mais, primeiro Álvaro precisa vencer a eleição, o que não será uma tarefa fácil.

 

Oportunismo
Não é a primeira vez que Álvaro busca carona no lombo de pessoas famosas. Quando o craque Romário estava em seu auge, logo após o Brasil ter vencido a Copa, Álvaro trouxe Romário a Foz para sua campanha política. Romário deu um trabalhão danado. Sérgio Spada e Vilmar Andreola podem contar bem essa história.

 

Racha
O DEM em Ponta Grossa se rebelou contra a decisão de a executiva estadual apoiar Cida Borghetti e divulgou nota de apoio à candidatura de Ratinho. O deputado Plauto Miró também foi com Ratinho. Mais um reflexo da desistência de Osmar Dias.

 

Presidência do PDT
Nem Gustavo Fruet, nem Assis do Couto. Os dois estavam brigando para assumir a presidência do PDT no Paraná. O presidente nacional, Carlos Lupi, acabou com a briga e nomeou André Menegotto.

 

Para o esquecimento
O colunista Celso Nascimento, um dos mais respeitados do Paraná, escreveu ontem que, antes de Osmar desistir da candidatura, seus correligionários costuraram uma aliança entre PDT, SD, PSD, PPS e Verde. Com isso, Osmar garantiria tempo na TV e estrutura de campanha. Mesmo assim, ele desistiu. Tem muita coisa nebulosa nessa história.

Share

GDIA