Comarca de Foz passa integrar o novo Cadastro Nacional de Adoção
12 de julho de 2018
12 de julho de 2018

Sentou na meleca
Não é nada confortável a situação do desembargador plantonista. Levou um senhor puxão de orelhas da ministra Cármen Lúcia. Ela gastou seis páginas e o precioso tempo na lição de moral, numa “decisão que foi inusitada e teratológica”, referindo-se ao ato de Rogério Favreto. “Teratológica” quer dizer absurda, mal concebida, segundo os dicionários. E a presidente do STJ, Laurita Vaz, não deixou por menos. Essas manifestações podem complicar, e muito, o futuro do magistrado. O pior é que depois será difícil arranjar emprego com o Lula.

 

Magistrados
A Associação dos Magistrados do Paraná emitiu nota sobre “a divergência de posicionamento entre membros do Poder Judiciário” e elogiando a postura do presidente do TRF4, desembargador Carlos Eduardo Thompson, o “responsável pela resolução do conflito positivo de competência instalado entre Desembargador Plantonista e Desembargador Relator”. A “segurança jurídica” tem sido a pauta de vários pronunciamentos em decorrência do caso. Nota da Amapar é assinada pelo presidente da entidade, juiz Geraldo Dutra de Andrade Neto.

 

Lojas francas
Corvo, olhei o mapa onde estarão as lojas francas, que você publicou ontem em sua página. De fato, é no mínimo estranho ver tantos pontinhos amarelos cercando o Rio Grande do Sul e uns gatos pingados no resto das fronteiras. Parece que essa liberação privilegia mais os gaúchos do que os paranaenses, catarinen-ses e demais estados onde o resto das lojas será instalado. Será que isso vinga ou o vinho já virou vinagre?
Joel Jesus

O Corvo responde: ainda vai vingar sim, Foz não pode desperdiçar a chance. E o caso é que o tema não está demorado só por estas bandas. Todos os municípios encaram dificuldades e por várias razões. Instalar uma loja franca não é uma operação simples, como muitos imaginam. O caso é que quando alguém fala o nome “Foz do Iguaçu”, o mundo todo sente coceiras. É inegável a vocação da cidade para aportar investimentos, como é o caso de free shops. E essa ansiedade às vezes causa atropelos. O número de reuniões e deliberações por parte de órgãos ligados ao setor comercial está causando incômodo nos investidores, mas é o prefeito quem decide.

 

Chico pode atropelar
Contaram para o Corvo que a pressão também não é pequena em cima do prefeito Chico e do vice, Nilton Bobato. Surgiu uma informação de que eles poderiam até atropelar o processo, pois teriam detectado a fuga de investidores. Embora os “conselhos” estejam trabalhando o assunto, quem de fato dará a canetada será a prefeitura, como o Corvo já comentou na nota anterior. Na tarde de ontem, este colunista teve a informação de que o prefeito vai aguardar, mesmo impacientemente, a deliberação do Codefoz e Concidade, pois, segundo informado, “os órgãos estariam abastecendo o Executivo com dados muito técnicos”. Destrave essa também, Chico. A rapadura é doce, mas não é mole.

 

Destino da obra
A matéria sobre a obra paralisada da sede da Unila e que foi publicada neste jornal, realizada pelo Adelino de Souza, rendeu pano para manga. A Unila fez esclarecimentos, inclusive com dados interessantes sobre a entidade. Mas no fim qual seria o destino da gigantesca obra, cerne da questão? Conforme manifestações do reitor, professor Gustavo de Oliveira Vieira, a empreitada é inviável, pois faltariam uns 700 milhões até a sua conclusão. A Unila deve optar por outras saídas, assim se livra dos aluguéis, que não são poucos. Mas e o destino da obra no interior da área ocupada por Itaipu?

 

Contaram para o Corvo…
Segundo uma informação muito estreita, ou seja, sem lastro para especulações, Itaipu estaria orçando a finalização do edifício com o propósito de mudar para lá o Centro Executivo, alguns outros escritórios espalhados pelo canteiro, incluindo o Centro de Visitantes, o que proporcionaria uma gama de novos incrementos para quem quer ver Itaipu, inclusive em três dimensões. A informação não foi confirmada, mas seria uma solução e tanto. Quem sabe numa dessas a prefeitura não acaba instalando-se ao lado do Gramadão, como muita gente já sonhou?

 

Aplicativos
Embora a Câmara tenha aprovado a regulamentação, há quem não concorde com o teor, justificando que em outras cidades a lista de exigências não é tão grande. Mas permitir os aplicativos é um avanço, pois o povo quer mesmo é mobilidade. A grande quantidade de veículos na praça pode baixar ainda mais o preço.

 

Não querem
Vários motoristas estão entrando com uma ação contra a lei aprovada; outros tantos aderindo de ontem para hoje. Eles não aceitam a obrigato-riedade de frequentar um curso para atuar como motorista de aplicativo, não aceitam a proibição de estacionamento próximo a hotéis e pontos turísticos e também querem derrubar a obrigatoriedade de os veículos serem emplacados em Foz do Iguaçu.

 

Não é só Uber e Garupa
Alguém procurou o Corvo apresentando uma solução caseira de aplicativo. “Estávamos apenas aguardando a regulamentação, agora podemos iniciar o nosso projeto, que é muito ousado e pode agradar aos usuários”, disse o pai da ideia, que pediu para não ser identificado. Com tanta gente assim trabalhando nas ruas, não haverá mais desculpas ao chegar atrasado ao trabalho.

 

Assessoria
Uma candidata andou queixando-se muito de um assessor. Disse que ele é chato, meio biruta e incomoda uma barbaridade. O Corvo, que em nada entendeu a manifestação de queixa, tem uma receita para isso: mande o indivíduo procurar coquinhos. O que não falta é gente de qualidade para prestar serviços de assessoria.

 

Nelso Rodrigues
Ele se afastou dos microfones da gloriosa Rádio Cultura para disputar uma vaga na Assembleia Legislativa do Paraná. É um notável advogado, professor universitário, empresário da área da comunicação, mas o que é mesmo é radialista, com “R” (maiúsculo). Tomara que seja vitorioso, pois é esse o tipo de renovação que buscamos, para tirar gente ruim e colocar pessoas competentes e que nos causem orgulho. Tomara que o Nelso não troque os microfones da Assembleia pelo das emissoras, pois fará muita falta. Mas tem o ditado que diz que “o sangue de radialista jamais abandona as veias pelas quais emanou o sentimento da opinião pública”. Quem disse isso foi o saudoso Vicente Leporacci. Sorte, Nelso!

 

Faca na Bota
E o Flávio Ferrari é outro que vai pelos caminhos da renovação. Trocou a Rede Massa, na qual o sucesso é garantido, pela ousada proposta de ser pré-candidato; e, segundo disseram ao Corvo, é um nome forte. Reformar a política e incorporá-la a novos nomes e frentes deveriam ser metas dos brasileiros. Só assim vamos melhorar o ambiente em que vivemos, literalmente.

 

Cascavel e a onça
Um bichano caminhou pelo centro de Cascavel, e o assunto foi parar nos noticiários nacionais. Onça quando vai andar pela cidade não é um bom sintoma. Está faltando comida para ela na mata.

 

Lobisomem
De novo o Corvo recebeu notinhas sobre uma aparição estranha lá pelas bandas de Três Lagoas. Dizem que é um cachorrão grande, de pernas compridas e com a cara preta. O Corvo pediu ajuda para um biólogo, e ele disse que tem tudo para ser um lobo-guará, se é que existe a possibilidade de um circular pela região.

 

Tarifas
Corvo, viu que liberaram a luz elétrica para quem não pode pagar? Isso quer dizer que pode haver um rateio para quem paga. Vem aumento aí, Corvo, pode escrever.
Laudemir Garra Nklolaki

O Corvo responde: em geral é assim que acontece. Já pagamos inclusive as ligações clandestinas. Quando alguém faz o “popular” gato, e não paga a energia, os demais consumidores pagam.

 

A Copa chega ao fim
Pois é, Corvo, fiquei triste sem o Brasil na final. Eu já estava acostumada a assistir aos jogos de Copa seguidamente. E agora? Só teremos essa diversão duas vezes por semana e com os nossos velhos times do coração. Bem que poderia haver uma Copa todos os anos, né Corvo?
Maria Eunice Castilho

O Corvo responde: prezada professora, está de bom tamanho, vamos deixar assim. De quatro em quatro anos já é um sufoco, pois o Mundial muda a vida de todos por quase um mês. Vamos pensar que agora teremos as eleições, e esse “campeonato” é o que vale. É bem mais importante.

 

O Corvo na Copa
No primeiro tempo, a Inglaterra mandou no jogo. Desarmou a Croácia o tempo todo. O gol, logo no início, mudou o perfil da parida. Mas os croatas são raçudos, deram o sangue e estão na final. O palpite do Corvo acabou furando. Há 50% de chances de o futebol conhecer um novo campeão domingo, entre França e Croácia.

Share

GDIA