5 de julho de 2018
5 de julho de 2018

 

Olá, caro leitor. Bom dia!
‘Carpe diem!’
– Hoje, quinta-feira, dia 05 de julho, comemora-se o ‘Dia da Fundação do Exército da Salvação’.

Pobre México
O militar e político mexicano José de la Cruz Porfírio Díaz Mori, presidente de seu país em três períodos políticos, cunhou a célebre frase: “Pobre México, tão longe de Deus e tão perto dos Estados Unidos”.
Não, caro leitor, não se está aqui a querer falar da seleção mexicana de futebol, que padece de outro tipo de sina, qual seja: ‘Jogamos como nunca, perdemos como sempre’.  O que se quer comentar, na verdade, é o fato de certos países fazerem apostas erradas em pessoas erradas.

 

Pobre México (2)
Os mexicanos elegeram no último domingo o político Andrés Manuel Lopez Obrador, o AMLO. Vitória acachapante, diga-se. Para quem não sabe: Lopez Obrador é do partido Morena, criado praticamente para a eleição deste 2018, tem 64 anos e se elegeu valendo-se dos escombros deixados pelo Partido Revolucionário Institucional, hegemônico no México de 1929 a 2000 – isto mesmo, leitor, por longos 71 anos!
Detalhe: a corrupção e a violência estão de tal modo corroendo o tecido social mexicano atual, que o presidente eleito, Lopez Obrador, prometeu e disse que cumprirá a realização de um referendo no qual ‘a população do país decidirá se ele deve ou não continuar no poder no meio de seu mandato de seis anos’ (G1).

 

Pobre México (3)
Cerca de 80% das exportações mexicanas atuais vão para os Estados Unidos. E a violência que impera no país é fruto, claro, do tráfico das drogas que vão também para os Estados Unidos (só para lembrar o general Porfírio Diaz).
Homem de esquerda, Lopez Obrador terá que lidar com um país que ‘escolheu não só um presidente, mas também um futuro diferente. Se há 18 anos o país decidiu pôr fim à hegemonia de sete décadas do PRI, agora exige uma transição, uma mudança de regime após duas décadas de alternância entre os partidos tradicionais’ (Javier Lafuente/El País).

 

Pois é
Noves fora algumas diferenças culturais bem acentuadas, é possível especular com a possibilidade de acontecer no Brasil algo parecidíssimo com o que aconteceu nas eleições do México. Explica-se: lá, o establishment perdeu e por aqui corre o mesmíssimo risco.

 

Vaca não dá leite
“Mário Sérgio Cortella, filósofo, escritor, educador, palestrante e professor brasileiro, costumava dizer aos filhos quando crianças: ‘Quando completarem 12 anos contarei o segredo da vida a vocês’. Quando o mais velho completou 12 anos, acordou o pai todo ansioso para saber o segredo da vida. O pai disse: ‘Contarei, mas você não poderá revelar aos seus irmãos. Eis o segredo: vaca não dá leite. Você tem de tirar. Você precisar acordar às 4 horas da manhã, ir ao pasto, entrar no curral cheio de fezes, amarrar rabo e pernas da vaca, sentar no banquinho e fazer o movimento certo’. Esse é o segredo da vida. Vaca, búfala, cabra não dão leite. Ou você tira ou não tem leite.
Existe uma geração que acha que vaca dá leite, ela acha que as coisas são automáticas. Eu quero, eu peço, eu ganho. A felicidade resulta do esforço. A ausência de esforço gera frustração”.

 

Acesse a Gazeta Diário na internet em www.gdia.com.br
Boa quinta-feira, leitor! Desejamos a todos uma jornada de ótimas surpresas!
Sorte e saúde sempre a todos!

Share

GDIA