4 de julho de 2018
4 de julho de 2018

Cartas para o Corvo!
Este pássaro amanheceu com a caixa postal transbordando de notas. Os leitores parece que combinaram. Como o Corvo respeita a opinião alheia, passou o dia editando as notas e cartas que foram enviadas para a redação. Vale aqui ressaltar que algumas pessoas enviaram textos tão compridos que não caberiam nem no jornal. As notas para o Corvo devem possuir no máximo dez linhas e mesmo assim serão editadas. O processo é necessário, pois se adapta à linguagem que os leitores estão acostumados aqui. O Corvo está impressionado não só com a criatividade dos leitores e colaboradores, como com a qualidade de texto, que é evidente a cada dia. Obrigado por colaborarem!

 

Nomes esquisitos
Seu Corvo, como os locutores decoram esses nomes dos croatas? Por favor! Será que não há tradução para nomes comuns, como em outros idiomas? Pancreatiti, Labirintiti, Borsiti, Amidaliti…, tá louco! Você, que é da área de comunicação, explique aí!
Paulo França

O Corvo tenta responder: puxa vida, até isso cai aqui? Os locutores conhecem a maioria dos jogadores, pois vivem disso, de transmitir partidas de futebol ao redor do mundo. Em outras palavras, quando os jogadores se tornam famosos, é mais fácil decorar seus nomes. Não pensem que para os profissionais do rádio e televisão da Croácia é uma tarefa fácil decorar os nomes dos demais jogadores da Copa. Entre outras, é por isso que as camisas possuem números.

 

Perimetral
Corvo, é bom mesmo que lancem o edital dessa obra o quanto antes, do contrário o deputado Giacobo vai parecer o menino da lenda do pastoril, aquele que gritava sobre o lobo. Mas aqui entre nós, faz tempo que o Giacobo está lá no Congresso. Por que será não conseguiu o feito antes? Vamos esperar ansiosamente pelo dia 16 de julho pra ver se não é só mais uma promessa eleitoreira.
Mário Rodrigues

O Corvo responde: perfeito, prezado, e o lançamento do edital acontece em 16 de julho, portanto um dia depois do resultado da Copa do Mundo. Estamos de olho.

 

Muitos candidatos
Pois é, seu Corvo, é difícil Foz aprender com os resultados do passado. De novo um caminhão de candidatos, um verdadeiro “pau de arara” de gente aventurando-se na política. O que é preciso fazer para essas pessoas se tocarem que a divisão de votos prejudica quem possui chances?
Paulo Roberto Lima

 

30 postulantes?
Poxa Corvo, também olhei a lista de pré-candidatos. Além dos desconhecidos, há os velhos combatentes eleitorais, ou seja, nomes que jamais conseguiram nada na política e só aparecem em época de eleições. O curioso é que eu nunca vejo esses nomes disputando a vereança, pela qual todos os políticos deveriam começar.
Larte Gil

O Corvo responde: prezados, estamos apenas no início do processo. Há a possibilidade de haver até mais pré-candidatos até as convenções, o que é um processo natural e, de certa forma, necessário para os partidos. O problema será se a cidade lançar muitos “candidatos”, aí sim as coisas ficarão mais difíceis para quem possui chances.

 

Competir ou atrapalhar?
Eis a questão. Este Corvo outro dia ouviu alguém dizer “que é necessário brigar para que certas pessoas não se elejam”. De onde surgiu uma besteira dessas? Estamos falando de representatividade, algo muito necessário para uma cidade como Foz do Iguaçu, que sempre se socorre com políticos de outras cidades e regiões. Independentemente de gostarmos ou não de quem possui possibilidades de eleição, devemos levar em conta que, se eleitos, representam a vontade de muitos eleitores. Sendo assim, qual a razão de atrapalhar?

 

Gleisi no jornal
Seu Corvo, qual a razão de vocês não anunciarem que a senadora Gleisi, do PT, estaria visitando a redação? Queria muito saber, porque faria questão de ir até a redação dar uma vaia nela. Vocês são uns enrustidos. Vai Cida, vai Gleisi, vai todo mundo aí, e vocês nunca antecipam isso para a gente!
Marcella Ramos

O Corvo responde: prezada, em geral, essas visitas nos informam no mesmo dia. Em todo o caso, o que mais interessa é o conteúdo que teremos à disposição. Claro, independentemente do gosto ou predileção das pessoas, são visitantes e todos serão bem tratados e bem recebidos nesta empresa jornalística. Publicando o que pensam é que ajudamos os eleitores moldarem a opinião até o dia das eleições. Infelizmente não há como anunciar quem vem e quando isso acontece. Ao longo do processo, o jornal recebe candidatos de todas as ideologias e partidos. Vivemos uma democracia.

 

Greve
Corvo, afinal, haverá ou não outra greve dos caminhoneiros? Recebi uma porção de áudios sobre essas ameaças. Mas por que os noticiários não dizem nada a respeito? Essas informações deixam a gente sem fôlego, seu Corvo. Na dúvida, preferi ir encher o tanque e abastecer a casa.
Martinho Brás

O Corvo responde: prezado, até o momento dizem que isso é fake news. A grande mídia não vai dar crédito a esse tipo de informação. Alguém disse para o Corvo que as gravações são antigas, do último movimento. O Corvo ontem deu uma pesquisada geral e não encontrou nenhum indicativo sobre uma possível nova paralisação.

 

Lojas francas
Corvo, qual é a sua opinião verdadeira? Sabemos que você fica muito em cima do muro, mas deve ter uma opinião própria sobre esse assunto. O que acha disso?
Juvenal Listenbauer Fernando

 

Paraguaios ligeiros
Pois então, Corvo, no futebol tem esta regra: “Quem não faz toma”, e é mais ou menos o que vai acontecer com Foz do Iguaçu se não passar sebo nas canelas e não implantar de vez essas lojas francas. Já deram tempo para os paraguaios, agora darão tempo para as cidades concorrentes, como é o caso de Guaíra.

 

Discussão
Corvo, é verdade, nossa gente, entidades e pessoas ligadas ao governo perdem muito tempo discutindo. Isso mostra que não estamos solidamente preparados para encarar algo maior, como são as lojas francas. Por que não decidem isso de vez?
Ruben Maciel

O Corvo responde aos leitores: segundo pesquisamos, somente depois do dia 16 é que as autoridades de Foz devem manifestar-se sobre os primeiros investimentos. Como sabemos é o município quem controla algumas regras. O Corvo, depois de muito pesquisar, acredita que o ideal seria a soma de esforços e que a nossa free shop deveria ser um complexo de compras, com atrações culturais e tudo o mais que chamar a atenção dos visitantes, porque eles serão os principais frequentadores. Se o comércio local fosse tão vulnerável, já teria quebrado com o Duty Free na Argentina. Mesmo com aquela iniciativa, houve foi um crescimento no comércio local. Mas é um assunto complexo, e o Corvo voltará a abordá-lo.

 

 

 

Na Copa
Corvo, o que diz a sua bola de cristal? O Brasil chega à final da Copa? E com quem você acredita que jogaremos, caso consigamos vencer os próximos dois jogos?
Márcio Benevides

O Corvo pensa que há boas equipes que podem chegar lá, mas temos ainda times muito fortes, como é o caso da Rússia, dona da casa. Em confrontos assim, a torcida faz a diferença. Como ainda falta, vamos esperar pelo resultado das partidas. O Brasil que vá tratando de achar o seu futebol de verdade. O Corvo está como o Canarinho, símbolo da torcida, rezando.

 

Share

GDIA