3 de julho de 2018
3 de julho de 2018

 

Paraguaios sabidos
Nossos vizinhos não dormem no ponto. Querem sim competir com o advento das lojas francas. O comércio do outro lado do rio gera milhares de empregos, além do mais é um grande distribuidor de renda. Para quem não sabe, a fiscalização lá também é muito eficiente, e não é de hoje que os governantes estudam um meio de aprimorar o método de cobrar impostos. Ao que consta, arranjaram um motivo para isso.

 

Imposto único
O presidente Horacio Cartes foi na onda da prefeita de Ciudad del Este, Sandra Zacarías, e mandou criarem uma comissão especial em busca de alternativas e enfrentar os “novos” concorrentes. Os economistas querem aproveitar o momento para a criação de um “IVA” guarani, ou seja, um imposto único que, além de reduzir os preços dos produtos, aumente a arrecadação. Ou alguém acredita que por trás de algum benefício não há dentadas? Os comerciantes sabem disso, mesmo assim adoraram a ideia. O imposto único pode abraçar cerca de 76% de quem não recolhia absolutamente nada, segundo informaram a este colunista.

 

Bilhões
Basta olhar para o perímetro urbano da cidade vizinha e entender que ele não é tão grande assim. Recentemente a prefeitura de CDE realizou um cadastro bem completo de todas as pessoas que de alguma forma realizam transações comerciais, isso desde as barracas de rua e mesinhas até grandes shoppings. O imposto único é inclusive uma reivindicação de comerciantes de todos os tamanhos. Embora não pareça, eles formam uma espécie de pull de negócios e representam um faturamento monstruoso. Isso declarado deve superar a casa dos bilhões. A cada dia, quem vive em CDE, comerciante ou não, está convicto de que os impostos podem transformar a cidade por meio de muitas melhorias. A prefeita Sandra tem trabalhado com esse objetivo em suas gestões.

 

No que acreditam
Embora os ventos de concorrência, quem investe em CDE sabe do perfil “turístico” que a cidade enverga e que isso não sofrerá alterações agravantes, mesmo com as lojas francas. Pensam exatamente no contrário: os free shops aumentarão a quantidade de visitantes, o que pode ser bom para todo mundo. Daí os paraguaios pularam na frente. Ponto para eles.

 

Falta de entendimento
Enquanto isso, em Foz do Iguaçu, as lojas francas ainda não são um instrumento claro para muita gente. Há várias correntes imaginando formas de negócios, muitos dos quais absolutamente inadequados. A cidade deveria ter superado esse estágio de “querência” e já partido para modelos exequíveis, unindo os comerciantes em torno de investimentos factíveis.

 

Cúpula conservadora
Os “Bolsonaros”, somados a outros políticos declaradamente de direita, estão organizando um evento em Foz do Iguaçu. Um vídeo está tratando do tema nas redes sociais, em que pregam uma “guerra” contra os regimes bolivarianos.

 

Enfrentamento
Contaram para o Corvo que há um grupo articulando-se para enfrentar a reunião, marcada para o dia 28 deste mês, que cai num sábado. O evento deve ocorrer no Centro de Convenções.

 

Objetivos
O cartaz que é exibido no vídeo diz que o encontro deverá reunir economistas “conservadores e liberais” de toda a América Latina, que se reunirão no formato de “mesas-redondas”; nos debates abraçarão, além da economia, a segurança, cultura e política, por meio de mediadores, com tradução simultânea. A mensagem garante que haverá participantes e autoridades do Brasil, Paraguai, Chile, Estados Unidos e Colômbia, além de outros países da América Latina, que estão sendo convidados. Tudo isso ocorrerá num único dia!

 

Organizadores
O material publicitário diz que o “deputado federal Eduardo Bolsonaro (filho do líder das pesquisas presidenciais Jair Bolsonaro) e o deputado federal Delegado Francischini” é que organizam a cúpula. O anúncio não confirma a presença do deputado pai, o Jair Bolsonaro. Claro, no evento, haverá o lançamento de várias pré-candidaturas.

 

Preocupação
Algumas pessoas temem que o encontro termine em confusão, levando em conta que há muitos simpatizantes das políticas ideológicas de esquerda, não necessariamente bolivarianas. Os “Lulistas”, neste caso, também são bem radicais. Olha lá o que vão fazer com a imagem da nossa bela e harmoniosa Foz do Iguaçu, hein? O que não queremos aqui é uma praça de guerra antecipada, com os extremos pegando-se a pau, palavrões e ovos. Essas encrencas cansam o cidadão de bem, que não quer saber nem de confusão e menos ainda de radicalismo.

 

Número maior
Enquanto se preparam para discutir o futuro da América Latina, os candidatos em Foz brotam como pipoca em dia de jogo da seleção. O Corvo está pensando se vai publicar ou não as cartas dos leitores sobre isso: mais de 30 pré-candidatos a deputado estadual e federal pelos partidos com representação em Foz do Iguaçu.

 

Nomes conhecidos
O Corvo deu uma passada de olhos na lista de pré-candidatos e pode assegurar que a proposta de renovação é a maior de todos os tempos, evidentemente se for levada em conta a boa quantidade de nomes desconhecidos. Há pessoas das quais este passarinho nunca ouviu falar. Mas isso não quer dizer, a não ser o risco de uma praga que a cidade enfrenta ao longo de sua existência, a divisão de votos em benefício do nada.

 

Eleições que valem
Há normativas para a eleição de diretores e coordenadores pedagógicos da rede pública municipal de ensino. As regras eleitorais estão nos decretos 26.487 e 26.488. Eles foram veiculados na edição 3.367 do Diário Oficial. Chico Brasileiro foi quem assinou as regulamentações para esses pleitos, que afinal movimentam toda a cidade. Há diretores de escolas que bem poderiam arriscar uma carreira política, do tanto que são queridos por professores, pais e alunos. Não vamos longe, Foz já elegeu vários vereadores que surgiram do meio estudantil.

 

Massa
A rede de ensino em Foz abriga cerca de 29,5 mil estudantes em 51 escolas e 37 Centros de Educação Infantil (CMEIs), que estão preparando-se para a eleição no dia 2 de dezembro. É dos bancos escolares que se planeja o futuro da cidade.

 

Esconderijo
Um suspeito de envolvimento em mais de dez homicídios foi preso em Foz do Iguaçu. Vejam bem, dez homicídios! Na prisão há policiais de várias regiões e cidades. A flor de pessoa estava refugiada numa habitação da Rua Otávio Portes, na região do bairro Morumbi, o que deixou muita gente arrepiada. “Ele parecia um cara desses bem bacanas. Como a gente ia imaginar que se tratava de um elemento de alta periculosidade?”, disse uma moradora, entre as pessoas que se aglomeravam e discutiam a captura do suspeito. Pois é assim mesmo, em geral, pessoas assim se infiltram entre os comuns e não dão pinta daquilo que realmente são. Sabem se disfarçar.

 

Sem queimadas
Finalmente deram fim ao velho costume dos paraguaios de meter fogo no lixo, espalhando fumaça para todos os lados. Ela inclusive atravessa a fronteira, sem trânsito e filas. Passa por cima do rio em questão de minutos e empesteia o lado brasileiro. A Secretaria Nacional do Meio Ambiente do Paraguai baixou uma lei para tentar acabar com isso, e os desobedientes pagarão multa e responderão criminalmente. O Corvo apurou que o serviço de coleta de lixo chega a “quase” todas as localidades fronteiriças. As pessoas queimam o lixo porque os agentes ambientais demoram. Preferem a fumaça aos mosquitos.

 

Regime Diferenciado
O processo de licitação, pelo Regime Diferenciado de Contratação (RDC), prevê que a empresa vencedora terá 90 dias para apresentar projetos complementares e viabilizar as licenças necessárias para o início das obras. Será que 90 dias são suficientes para deliberações de desapropriações e licenças ambientais? Bom, tomara que o evento não seja adiado caso o Brasil vença a Copa do Mundo.

 

Falar em Copa do mundo…
Parece que as oitavas tiraram os torcedores da moita; ontem havia muito barulho desde as primeiras horas da manhã, inclusive com a soltura de rojões, coisa que não se ouvia como em mundiais anteriores. Pudera, a Rede Globo já fazia barulho desde as 5 horas. É difícil imaginar onde arranjam tanto assunto para segurar o povo ligado na telinha. É a prova da competência da emissora.

 

E no gramado…
Havia muita tensão, especialmente pela possibilidade de uma disputa em prorrogação e pênaltis, como foi no domingo. Os dois jogos comeram até a reprise do programa do Chacrinha. E a catimba mexicana? Ela foi forte e eficiente, mas não foi suficiente para encarar a seleção brasileira, que jogou quase redondinha. O Brasil parece ter gostado do placar de 2 a 0. Para este Corvo, não foi uma surpresa a derrota dos mexicanos. São fregueses antigos.

 

Que venha a Bélgica
Sexta-feira, o povo vestirá mais uma vez as chuteiras. Mas a coisa vai apertando. Os Diabos Vermelhos foram para a Rússia muito determinados; quase levaram um “robalo” do Japão, mas conseguiram reverter. O fator diferencial pode ser jogar contra o Brasil. A vitória contra o México deu uma inflada no moral, sobretudo pelo fato de os mexicanos terem arruinado a Alemanha, que até o próximo dia 15 ainda é a campeã mundial.

Share

GDIA