Investimentos da Itaipu na região beneficiam mais de 1,5 milhão de pessoas
3 de julho de 2018
3 de julho de 2018

E-mail: doniesportes@brturbo.com.br

 

 

 

Marca de Neymar
Com o gol marcado contra o México nesta segunda-feira na vitória por 2 a 0 na Copa da Rússia, Neymar superou Garrincha, Zico e Romário e se igualou a outros dois nomes históricos no sexto lugar da lista de maiores artilheiros da Seleção em Mundiais: Rivellino e Bebeto. A dupla, no entanto, alcançou essa marca ao longo de três Copas, enquanto o jogador do Paris Saint-Germain está disputando apenas a sua segunda.

A lista, considerando apenas brasileiros, é liderada por Ronaldo Fenômeno, com 15 gols. O ex-atacante, todavia, participou de quatro edições do torneio, balançando as redes adversárias em três delas (1998, 2002 e 2006). À sua frente, Neymar ainda tem Careca (7), Leônidas da Silva (8), Rivaldo (8), Vavá (9), Ademir de Menezes (9), Jairzinho (9) e Pelé (12). O alemão Miroslav Klose é o maior artilheiro da história da competição, com 16 tentos.

 

Melhor de todos
Com o 2 a 0 que fez sobre o México, a Seleção Brasileira consegue assegurar uma hegemonia em estatísticas das Copas do Mundo. As equipes de Brasil e Alemanha, desde antes do início deste Mundial, dominavam três dados históricos: número de gols marcados, partidas disputadas e vitórias. Os dois tentos garantiram a liderança no número de gols marcados em Mundiais ao Brasil, que soma sete na Rússia. O placar agora está 228 a 226 ante a Alemanha — antes do torneio, os europeus lideravam, 224 a 221.  No número de vitórias, o Brasil ampliou a vantagem, chegando a 73 vitórias na história dos mundiais aumentando em seis o número de vitória sobre os alemães

 

Brasil x Bélgica
Nesta sexta-feira, o Brasil irá enfrentar a Bélgica pelas quartas de final da Copa do Mundo de 2018. Além da dificuldade do jogo, por serem seleções candidatas ao título mundial, o confronto terá mais um obstáculo, já que os dois times se enfrentaram apenas uma vez na história da competição, nas oitavas de final da edição de 2002, curiosamente, quando Luiz Felipe Scolari e seus comandados conquistaram o pentacampeonato para o país. Apesar do Brasil ter vencido por 2 a 0, muitos torcedores e jornalistas que acompanharam aquele Mundial destacam o confronto diante da Bélgica como o mais difícil para os brasileiros durante a campanha do título.

 

Sem Casemiro

O volante Casemiro não poderá jogar as quartas de final da Copa do Mundo. Ontem o camisa 5 entrou em campo contra o México pendurado e no segundo tempo acabou advertido com cartão amarelo pelo árbitro italiano Gianluca Rocchi, fato que acabou com as possibilidades de o jogador do Real Madrid atuar na próxima fase da competição. Ao contrário da maioria dos torneios, em que um jogador só tem de cumprir suspensão automática ao levar três cartões amarelos, na Copa do Mundo o jogador tem de ficar de fora do próximo confronto de sua equipe ao ser advertido com cartão por duas vezes. A somatória só é zerada nas semifinais. Assim como aconteceu no empate em 1 a 1 com os suíços, Fernandinho deverá ser o substituto de Casemiro no confronto válido pelas quartas de final da competição. A tendência é que essa seja uma das duas mudanças na equipe do técnico Tite, uma vez que Marcelo já deverá ter condições físicas de atuar em alto nível por 90 ou 120 minutos e provavelmente reassumirá a titularidade na lateral esquerda.

 

Frase Bíblica:
“Conceda-me o Senhor o seu fiel amor de dia; de noite esteja comigo a sua canção. É a minha oração ao Deus que me dá vida”.

*Salmos 42:8

 

Share

GDIA