29 de junho de 2018
29 de junho de 2018

Em busca do Eldorado
Corvo, as pessoas estão indo embora para os países mais ricos porque simplesmente cansaram de ser exploradas ou de conviver com o crime e a falta de segurança. Vão embora porque, mesmo correndo da polícia e se escondendo nos outros países, a vida é bem mais justa. Estamos vendo essa crise no mundo. Só na minha família, cinco pessoas foram para os Estados Unidos ou Europa. O que você pensa sobre isso, Corvo?
Martina Días

O Corvo responde: prezada Martina, tanto em seu país (Argentina), como no Brasil, há sérios problemas com a distribuição de renda. Mesmo assim, é mínimo o índice de argentinos que entram ilegalmente nos Estados Unidos, até porque nem visto precisam. Já no Brasil a situação é outra. Mas veja, no mundo atualmente há países ricos e pobres. Se os ricos revertessem um pouco de dinheiro para ajudar as nações pobres, pode ser que a imigração diminuísse consideravelmente. No entanto, as potências se preocupam em investir em guerras, e o sofrimento só aumenta. No lugar de imigrantes, temos “refugiados”. Se os EUA e Rússia passassem a gastar em “vidas”, apoiando fundos de recuperação e humanidade, tornariam vários países mais seguros e atrativos. Veja, atualmente o vice-presidente dos Estados Unidos, ao visitar o Brasil, fez uma doação de cerca de US$ 1,5 milhão para ajudar no apoio aos refugiados venezuelanos. O Brasil gasta o dobro disso por mês.

 

Sem usina
Pois São Pedro, que comemora seu dia hoje, fez questão de atrapalhar a inauguração da Usina de Asfalto de Foz, que seria colocada em prática ontem, véspera do dia do santo que controla as torneiras celestiais. Devido à condição de clima instável, a Comunicação Social da Prefeitura avisou que a inauguração será postergada para uma data mais conveniente.

 

Maior reivindicação
Conforme este jornal publicou na edição de ontem, a maioria das reivindicações que chegam aos vereadores por meio de visitas às comunidades ou simples levantamentos se refere a asfalto ou manutenção das ruas. Reclamações sobre o tema beiram a casa de 30%. As galerias pluviais se somam a esse quesito.

 

Necessidade
É por isso que o prefeito “destravador” insiste tanto em equipamentos para a realização dos serviços de pavimentação. Se contratasse os serviços mediante cartas-convite ou outras modalidades licitatórias, terminaria o governo e não taparia os buracos e deformações nos acessos públicos, de tantos que existem nas mais diversas localidades. A Usina de Asfalto pode implicar um custo até um pouco mais alto na prestação dos serviços, porém, caso disponha de materiais, saciará muito mais rápido as necessidades da comunidade.

 

Efeito dominó
Buracos causam uma cadeia de gastos que podem chegar a milhões, quando o assunto é prejuízo aos contribuintes. Sim, se um veículo particular ou utilitário quebra ao cair numa deformação, em ruas ou avenidas, vai parar no mecânico; as peças custam caro, as pessoas ficam sem o veículo por uns tempos, o que causa prejuízo e, no fim das contas, sem grana, não pagam os impostos, o último na fila das necessidades e obrigações. Com o dinheiro contadinho, as pessoas compram comida, pagam as escolas dos filhos, pagam médicos e farmácias e, se não sobra, atrasam os impostos, o que dificulta os serviços públicos. O buraco, meus amigos, é um problema sério.

 

Conselho de Ética
Pois ontem, os vereadores convocaram a imprensa para explicar o que pensam sobre a ação popular que visa a destituir o Conselho de Ética. Os vereadores teriam prevaricado quando arquivaram o processo contra o Dr. Brito, que renunciou ao cargo. A ação entende que, mesmo desistindo de ser vereador, a Comissão de Ética deveria cassar o vereador, porque assim ele seria impedido de retornar à vida pública tão cedo.

 

Prevaricação
O Corvo não conhece a fundo as prerrogativas do Conselho de Ética num caso assim. Mas sem precisar muito pesquisar, é sabido que correm processos contra o vereador na Justiça, e eles são cíveis e criminais, logo, entre as punições, há o impedimento do exercício político por um período que pode ser de até oito anos. Agora, se o Conselho de Ética cometeu uma prevaricação, e diante disso deve ser julgado, quem é que vai punir? A Câmara teria de deliberar sobre a escolha de outro Conselho de Ética e convocar suplentes, pois não atingiria quórum. Aqui entre nós, seria uma operação um tanto complicada. Devemos ter em mente que os vereadores parariam de trabalhar por meses para cumprir uma tarefa assim. O caso é que eles custam bem caro.

 

Custo
Um dos fundamentos da ação popular seria o desperdício do dinheiro, pois a CI do Dr. Brito avançou uns meses e depois parou. Vamos aguardar a decisão da Justiça. Magistrados não são induzidos com factoides.

 

Dona Gleisi
Pois então, Corvo, a senadora Gleisi Hofmann tinha razão quando se defendia das acusações que lhe eram imputadas. Como atirar pedra no PT é o esporte preferido de muita gente, até eu entrava nessa. Agora, com ela afastada de uma porção de casos em que estava “supostamente envolvida”, mudou muito a minha opinião sobre ela.
Marcia Gabriella

O Corvo responde: generalizar não é o melhor caminho. É para isso que existe a Justiça, para reparar, ou confirmar, as acusações. As absolvições colocam a senadora no plano político destas eleições. Resta saber o que ela escolherá. Por falar em Gleisi, foi informado que ela fará uma visita à redação na tarde de hoje. Será muito bem recebida, como todos os políticos — de todos os partidos — são.

 

Repatriados
Corvo, uma repórter de um telejornal da RIC disse que alguns presos foram “repatriados”, que coisa, hein? Eles fugiram da cadeia ou do país? Vocês, jornalistas, inventam cada uma…
Mário D’Alfonso

O Corvo responde: calma lá, prezado, a profissional usou um termo coloquial, porque a pátria dos presos, infelizmente, é a cadeia. Usa-se muito “repatriados” nas regiões Norte e Nordeste. E presídio é onde os presos vivem, convivem e ficarão guardados durante anos. Mas se a repórter usasse “recapturados”, não seria fruto de questionamento. Não ficou tão ruim o emprego de “repatriados”. É pelo menos algo para em que se pensar.

Na “Casa”
Neste sábado é dia de choro no endereço mais cultural da cidade. “Chorando de Alegria” é o nome do sarau que acontecerá em A Casa, cujo repertório de atrações é sempre muito esperado. Vamos lembrar que o cardápio cultural de lá é muito eclético e variado, mas sempre com bom gosto. Informações no cartaz.

 

Atraso
Puxa vida, hein Corvo, o Correio anda atrasado não é apenas na entrega das correspondências: só nesta quarta-feira, dia 27, é que fizeram o lançamento do selo Brasil na Copa do Mundo da FIFA — Rússia 2018? Por pouco teria de lançar “A saída do Brasil da Copa”, com esse timinho meia-boca. Meus protestos, Corvo!
Reinaldo da Silva

O Corvo responde: Foz do Iguaçu é a terceira cidade a receber a solenidade, depois de 14 de junho. O evento reuniu autoridades, administração do Parque Nacional do Iguaçu, concessionárias da unidade de conservação e convidados. A escolha do Parque Nacional ocorreu pela parceria com a Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos. Isso será mais um mimo aos visitantes, pois o atrativo recebe gente de todo o mundo. E olha, o Brasil segue na competição. Vai que surpreenda!

 

Corvo, cidadão honorário!
Visitaram esta ave e informaram que alguém deveria propor um título de Cidadão Honorário a este colunista. Seria a primeira vez que um “não” humano receberia a honraria. Mas o Corvo, entendendo que o jornal já é bem representado no quesito, avisou que gentilmente declinará da importante homenagem agradecendo a indicação. Chico de Alencar, Donisete Melo e Rogério Bonato foram agraciados com o título, portanto o Gazeta Diário acumula uma galeria de cidadãos honorários. Obrigado! Que coisa, hein? A Câmara tem reconhecido o talento e qualidade dos profissionais de imprensa, vários já se tornaram cidadãos honorários de Foz, diante dos inúmeros serviços prestados. E pensar que tem gente que foi ameaçar vereador: “Se não me conceder um título, vou meter o pau em você o resto da vida”, disse um medíocre das letras ao tentar praticar um achaque pela homenagem. O vereador nem deu bola. Fez certo, ignorar a ação de certos bandidos que se dizem da “comunicação” é o melhor caminho!

 

Padre Sérgio, cidadão honorário!
O sacerdote Sérgio Bertotti recebeu o título de Cidadão Honorário ontem, quinta-feira, 28 de junho. A solenidade aconteceu às 19h, no plenário do Legislativo, sendo muito bem prestigiada inclusive. A homenagem foi proposta pelos vereadores João Miranda (PSD) e Márcio Rosa (PSD). Conforme publicamos, o padre Sérgio Bertotti é natural de Medianeira, Oeste do Paraná. No município onde nasceu, também recebeu a ordenação diaconal, e a ordenação presbiteral em 1999, na Paróquia Nossa Senhora Medianeira — Diocese de Foz do Iguaçu, por Dom Olívio Aurélio Fazza. É graduado em Filosofia e Teologia, com especialização (pós-graduação) em Teologia Pastoral (UCS/RS) e Gestão de Pessoas (Senac/SP). Grande padre Sérgio! Felicidades!

 

E a Copa?
Nos jogos de ontem, deu para notar que a Bélgica, ao vencer a Inglaterra e quebrar um jejum de mais de 80 anos, dará muito trabalho nas oitavas.

 

Japão e Colômbia
E o Japão será um osso duro no caminho da Bélgica. E a Colômbia não dará moleza para a Inglaterra. O lado oposto do Brasil está bem mais duro. Os prognósticos são os mais diversos, e sem a Alemanha há muitos outros favoritos. Todos que passaram para as oitavas têm um bom histórico na primeira fase.

Share

GDIA