29 de junho de 2018
29 de junho de 2018

 

Olá, caro leitor. Bom dia!

‘Carpe diem!’
– Hoje, sexta-feira, dia 29 de junho, comemora-se o ‘Dia da Telefonista’ e o ‘Dia do Pescador’;
– Também hoje é comemorado o ‘Dia do Papa’;
– A data para os católicos é de comemoração do ‘Dia de São Pedro e São Paulo’;
– Aqui no Paraná comemoramos o ‘Dia do Chaveiro’ (por conta de São Pedro, o Chaveiro do Céu);
– A propósito da Copa do Mundo:
. nesta data, em 1986, a Argentina sagrou-se campeã no México ao vencer a Alemanha por 3×2!
. nesta data, em 1958, o Brasil sagrou-se campeão pela primeira vez, na Suécia. Vencemos os suecos em Estocolmo, capital do país, por 5×2; por isso hoje comemoramos o ‘Dia do Futebol’.

 

Ainda a Segunda Turma
Na coluna anterior abordamos a questão da rivalidade existente na Suprema Corte brasileira. Grupos a favor e contra a prisão após condenação em segunda instância travam uma guerra sem precedentes na história daquele tribunal. No último episódio os ministros Gilmar Mendes, Ricardo Lewandowski e Dias Toffoli, suspeita-se, preparavam-se para libertar da prisão o ex-presidente Lula quando outro ministro, Edson Fachin –relator da Lava Jato– surpreendentemente enviou para julgamento no plenário o recurso de Lula para suspensão de sua condenação.

 

Ainda a Segunda Turma (2)
No plenário as chances do recurso impetrado pela defesa do ex-presidente Lula são bem menores que na Segunda Turma, jocosamente chamada de ‘Jardim do Éden’, em razão de eventos de libertação como aqueles vistos na última terça-feira. Há quem diga que a soltura do ex-ministro José Dirceu, do operador Milton Lyra e do ex-tesoureiro do PP, João Cláudio Genu, além da anulação de provas contra a senadora Gleisi Hoffmann e seu marido Paulo Bernardo e mais a suspensão de ação contra o deputado tucano de São Paulo Fernando Capez foram uma resposta à decisão do ministro Edson Fachin.

 

Ainda a Segunda Turma (3)
A composição das turmas do STF é de cinco ministros. Na Segunda Turma temos os ministros Edson Fachin, Celso de Melo (decano, o mais antigo entre os ministros), Ricardo Lewandowski, Gilmar Mendes e Antônio Dias Toffoli. Diz-se aqui e ali que Mendes, Toffoli e Lewandowski formam uma tríade, um tipo de maioria naquela turma, o que tem resultado em seguidas ‘derrotas’ para Edson Fachin. ‘Nas trinta votações mais importantes no colegiado sobre casos da Lava Jato e desdobramentos, Fachin foi derrotado ao menos treze vezes desde que assumiu a relatoria da operação, em fevereiro de 2017’ (Estadão).

 

Quando setembro chegar
É bem provável que a ‘maioria’ da Segunda Turma se desarticule em setembro próximo. É que a partir daquele mês o ministro Antônio Dias Toffoli se tornará presidente do STF, no lugar de Cármen Lúcia. E em contrapartida, a ministra ocupará na Segunda Turma o lugar deixado por Toffoli, o que resultará – acreditam alguns – na formação de outra maioria, agora ‘a favor’ de Edson Fachin.

 

Aquele abraço!
Aos diletos engenheiros Murilo Boynard Santiago e Jaime Suñé e ao empresário Ulisses Cioccia envio o meu mais sincero e forte abraço. São assíduos leitores desta humilde coluna.

 

Acesse a Gazeta Diário na internet em www.gdia.com.br
E viva a sexta-feira! Tenha uma boa jornada, ok?
Sorte e saúde sempre a todos!

Share

GDIA