12 de junho de 2018
12 de junho de 2018

Pombinhos
Apesar da ressaca pelas festividades de aniversário da cidade, da alta do dólar, dos efeitos do reabastecimento, da tensão pré-futebolística, dos candidatos alvoroçando-se, da roubalheira divulgada na TV e da falta de grana geral, as agendas dos restaurantes estão positivas para a comemoração do Dia dos Namorados! Com tantos problemas na cabeça do cidadão, é bem possível que as farmácias lucrem algum com a venda de estimulantes sexuais.

 

Fartal
Segundo informaram a este colunista, a Fartal deste ano foi um dos eventos mais bem organizados de toda a história. Tudo funcionou com perfeição, do estacionamento aos serviços; a agenda de shows foi cumprida, as atividades paralelas agradaram ao público e a variedade de comidas era grande. Enfim, a aprovação foi muito boa. Detalhe, ninguém se queixou do custo das apresentações, uma vez que as atividades culturais estão na ponta da lista da população.

 

Milagre
E o que contribuiu muito para o sucesso da festa de aniversário de Foz foi o clima. Ineditamente não despencou um aguaceiro nem fez aquele frio de rachar, pelo menos no final de semana. O tempo bem que ameaçou fechar, mas a chuva não caiu. Mas o cidadão deve preparar-se para a mudança do clima nesta semana. Está prometendo muita garoa e aquele friozinho chato, bom para a gente ficar embaixo das cobertas.

 

 

Escaramuça política
O Corvo ficou sabendo de um rabujo que teria sido muito bem arquitetado para esculhambar os planos políticos da vereadora Nanci Rafain Andreola. Como o assunto estava “parcialmente” amansado, com a punição de 30 dias de afastamento, tudo dava conta de que o imbróglio não avançaria. Mas como o promotor de Justiça sacou primeiro e resolveu trabalhar o assunto por meio dos instrumentos disponíveis no Ministério Público, há novas revelações no ar.

 

Pressão
Segundo consta, o médico envolvido na questão do atestado teria sido trombado por uma ala interessada em desgastar a imagem da Nanci, pois, conforme informações, ele possui um parente próximo na política. Mas como tudo está no campo da especulação, é cedo para explorar, embora o assunto vá fluindo aos poucos, obedecendo às leis da natureza. Que pedreira é esse meio, hein? Basta alguém destacar-se que o facão come solto.

 

Investigação
Como este Corvo já escreveu, mentiras e verdades passarão para o plano da realidade, pois o GAECO não brinca em serviço. É bem provável que o documento já esteja em vias de perícia, na qual será conferida a assinatura do médico e ouvida a pessoa que foi buscar o atestado, que jura por todos os mortos, vivos, santos, deuses e orixás que recebeu o papel das mãos do responsável. Quem diria, um “papelito” render uma dor de cabeça desse tamanho.

 

Agravantes
Como todo mundo sabe, a dona Nanci é vereadora pelo PDT. O partido está de butuca, pois é lá que ela precisará garantir a candidatura à Assembleia Legislativa. Há gente antecipando-se com os agravantes, mesmo antes de serem julgados. O tabuleiro das negociações é vasto e, pelo visto, complicado. Mas como quem decide é a Executiva, diga-se Osmar Dias, ela deve estar bem tranquila.

 

Foto espetacular
Corvo, francamente, jamais imaginei ver uma foto como a de ontem na capa de um jornal. Ela é um espetáculo no sentido de mostrar um mar de atletas e pessoas participando de uma prova de atletismo! Onde e quando, sinceramente, poderíamos esperar algo assim em nossa cidade? Estou orgulhoso!
Walter Dandobio

O Corvo responde: prezado, é verdade, a foto ilustra um momento mágico, colorido, muito bem prestigiado pelos adeptos das provas de atletismo — e Foz está tornando-se uma referência nesse setor, a começar pelos percursos e variedade de competições. A foto é do Roger Meireles.

 

Hecatombe
Segundo matéria publicada neste jornal, a queda nos negócios rondou a porcentagem dos 75% em Ciudad del Este, e isso apenas nos cinco primeiros meses do ano! Embora a busca por soluções e a criação de estratégias, informaram a este colunista que alguns comerciantes preferem baixar as portas e, com isso, esperar a tempestade passar. Será? Um amigo recebeu aviso de dispensa “temporária” no sábado. E logo agora, nas férias de meio de ano.

 

Reposição
Pode parecer fácil simplesmente paralisar o negócio, mas não é assim que funciona num mercado como o de CDE. “Quem baixar as portas corre o risco de não abrir nunca mais. Estamos falando de um mercado de alta rotatividade de produtos, com tendências mundiais. Quem fizer uma paralisação temporária vai precisar jogar tudo fora quando abrir a loja, porque os produtos são atualizados com uma velocidade descomunal”, garantiu um empresário que preferiu não ter o nome publicado. Sua análise é pontual.

 

Corte de árvores
Corvo, imagina se cada morador resolver comprar uma motosserra e sair cortando as árvores na frente de casa, ou mesmo dentro do terreno? Aí sim isso vai virar uma bagunça. Tá certo que a natureza precisa de reparos, mas isso deveria ficar nas mãos do poder público. Autorizando os moradores, teremos ruas sem árvores muito rapidamente.
Marlei Benites

O Corvo responde: calma, prezada leitora, não será bem assim. Os moradores terão de possuir autorização para retirar uma árvore ou mesmo fazer a poda. E as regras ambientais continuarão valendo porque uma lei municipal nunca se sobrepõe a uma federal. O caso é que o custo de poda e corte de árvores é muito alto para os cofres públicos, e a ideia é diminuir isso, assim teremos mais dinheiro na educação ambiental, saúde, etc.

 

Sérgio e Einstein
Opa, corrigindo, quem está ao lado do professor Sérgio Cardona não é o famoso físico, apesar da aparência. É o advogado Luiz Eduardo, nos aprazíveis encontros aos sábados pela manhã no Bar do Juca!

 

R$ 12 milhões
É o tamanho da conta se for convertida em multas e atraso na documentação de veículos. O Corvo ficou sabendo que as autoridades nem querem mais organizar blitz, pois a quantidade de veículos apreendidos será tão grande que eles entupirão os pátios e muitos nunca mais sairão de lá, devido ao tamanho das dívidas e ao estado precário em que se encontram. Que barbaridade!

 

Perigo
Ao comentar a necessidade de poda de árvores em Foz, na noite de domingo este Corvo viu uma confusão armar-se por causa do estacionamento de um veículo. O cidadão parou bem ao lado de uma dessas árvores enormes, curvadas para o lado da rua. Bem quando ele estava deixando o veículo, com a família, um galho enorme despencou ao lado, e a árvore começou a ranger, estalar. Pensa no sufoco. Todo mundo saiu correndo ao mesmo tempo, tentando salvar seus veículos, porque se a árvore caísse o estrago seria grande. Mas ela não caiu e continua lá, na Rua Edmundo de Barros, resmungando… ameaçando fazer bagunça. A prefeitura precisa urgentemente estudar um programa para a substituição das árvores em condições de despencar.

 

Marco
Foz pode ter o seu primeiro “tombamento” cultural, ou seja, o reconhecimento de um patrimônio material. Que coisa, hein? Vamos pensar na quantidade de edifícios e locais que foram literalmente “tombados” para dar lugar à especulação imobiliária. Tomara que daqui em diante adotem mais cuidados com esses locais. O Marco das Três Fronteiras é uma das poucas obras físicas que sobreviveram ao século passado. Mas o cidadão precisa aprender a diferenciar um prédio antigo de um edifício velho. Há muitos edifícios que nem são assim tão antigos, mas que estão caindo aos pedaços, causando risco aos transeuntes.

 

Não é sábado!
Corvo, você errou e mostra que está por fora da Copa do Mundo. Ontem o senhor escreveu que sábado o Brasil pisará no gramado! O primeiro jogo da seleção, na verdade, é no domingo. Vê se fica antenado, Corvo, não dê bola fora!
Márcio Guedes

O Corvo responde: onde está o erro, prezado leitor? Vai dizer que a seleção “não” pisará no gramado sábado? Claro que vai pisar, até porque precisará para o jogo de estreia, com a Suíça, no domingo, dia 17! Se bem que a nossa seleção já está pisando no gramado faz tempo; tomara que não pise na bola!

 

Time bem armado
Em raras ocasiões uma seleção brasileira chegou tão confiante a uma Copa do Mundo. Não se ouve torcedor contestando a escalação do Tite nem colocando dúvida sobre este ou aquele jogador. Tomara que tenhamos razões para sorrir um pouco, depois de tudo o que estamos enfrentando neste país nos últimos anos no campo da política e da roubalheira.

 

Lojas francas
Pois é, Corvo, tem gente que não se toca e, por causa de posturas insensíveis, acaba prejudicando a cidade. Não precisa ser um especialista no assunto para entender que não podemos perder a oportunidade de ter lojas francas em Foz. Qual o problema afinal: vamos deixar os brasileiros gastarem na Argentina e Paraguai, e não em nossa cidade? Se isso acontecer será um grande atestado de incompetência! E outra coisa, loja franca, free shop, no centro da cidade? Isso não tem a menor condição! Penso que as pessoas ainda não dimensionaram a importância do projeto.
Natália Conceição

O Corvo responde: verdade, prezada leitora. Não dimensionaram a importância como também não sabem o que significa um complexo de lojas francas. Tem muita gente metendo o bedelho no assunto sem o menor conhecimento sobre a complexidade e os bons frutos que iniciativas assim podem render.

Share

GDIA