11 de junho de 2018
Concessionárias são notificadas sobre o fim dos contratos do pedágio
12 de junho de 2018

Olá. Bom dia, leitor!
‘Carpe diem!’
– Hoje, segunda-feira, dia 11 de junho, comemora-se o ‘Dia da Marinha Brasileira’;
– Também hoje se comemora o ‘Dia do Educador Sanitário’.

 

Bye, bye, Brasil
O mês de maio não deixou saudades para nós brasileiros. Deixou o que ultimamente se convencionou chamar de tempestade perfeita a conjugação de diversos fatores que resultam num fenômeno comum e incontrolável: a ameaça do aumento dos juros nos EUA, a indefinição quanto ao nosso futuro político no que tange as eleições e o advento da paralisação engendrada pelos caminhoneiros, que escancarou a fragilidade de nosso governo, redundaram numa fuga de dólares poucas vezes vista no Brasil.

 

Bye, bye, Brasil (2)
Segundo a agência Bloomberg, ‘foi a maior saída líquida de capitais desde 2004. Um total de R$ 8,4 bilhões deixou o país. Essa fuga teve início em fevereiro, quando se tornaram mais claros os sinais de que os EUA iriam subir mais os juros que o inicialmente previsto – o que torna os títulos americanos mais atrativos para os investidores, prejudicando principalmente os países emergentes. Mas há no Brasil um ingrediente extra: um cenário eleitoral completamente indefinido, com o mercado cada vez mais temeroso de um segundo turno sem nenhum candidato de centro’.

 

Correspondência desde Santiago
O Chile tem muito a ensinar ao Brasil. Produz 9% do petróleo que consome e nem assim as pessoas reclamam da petroleira local, a COPEC. O salário mínimo por aqui é de cerca de R$ 2.200,00 e a capital federal, Santiago, ostenta o edifício mais alto da América Latina, a Torre Costanera Center. Edificações suntuosas, na verdade, se tornaram lugar comum nesta ‘hermosa ciudad’.
As pessoas não são assaltadas nas ruas como no Rio de Janeiro ou São Paulo e não há balas ‘perdidas’ assombrando a vida dos cidadãos.

 

Correspondência desde Santiago (2)
O custo de vida em Santiago, alto, definitivamente não contrasta com a notícia segundo a qual o melhor país em qualidade de vida na América Latina – atualmente – é o Chile. De frente para o paredão da Cordilheira dos Andes, com suas neves eternas, Santiago abriga mais de um terço dos dezessete milhões de chilenos. Seu ‘calcanhar de Aquiles’ pode ser debitado à nuvem de poluição que insiste em se fazer presente a partir de qualquer altura que se possa ver e admirar a cidade. Mas nem por isso Santiago deixa de ser um destino que vale muito a pena. Fica a dica.

 

E por falar nisto
“Quando uma sociedade se corrompe, a primeira coisa que se decompões é a linguagem”. A frase foi citada na última coluna do mestre Elio Gaspari, na Folha de São Paulo (06.06.2018), e é de autoria do escritor mexicano Octavio Paz.
Tendo em conta o fato de que 68% dos brasileiros são analfabetos funcionais (noves fora os 7% de analfabetismo, não é?) e considerando o enunciado de Paz, fica fácil entender nossa conjuntura atual, não é?

 

Acesse a Gazeta Diário na internet em www.gdia.com.br
Vamos recomeçar a semana com disposição, ânimo, coragem e fé! Boa jornada, leitor!
Sorte e saúde sempre a todos!

Share

GDIA