7 de junho de 2018
7 de junho de 2018

Olá. Bom dia, leitor!

 

‘Carpe diem!’
– Hoje, quinta-feira, dia 07 de junho, comemora-se o ‘Dia da Liberdade de Imprensa’.
– Faz aniversário hoje Marcos Evangelista de Morais, o Cafu (48 anos). Detalhes: Cafu é o recordista de jogos pela Seleção Brasileira, com 149 partidas. Fez parte das equipes vencedoras das Copas do Mundo de 1994 e 2002, além das Copas de 1998 e 2006.
– E hoje faz dois meses que o ex-presidente Lula foi preso, condenado que foi a 12 anos e um mês por corrupção passiva e lavagem de dinheiro no caso do triplex no Guarujá.

 

Gilmar Mendes, de novo!
Não, leitor, Gilmar Mendes ‘ainda’ não soltou ninguém nesta semana. Fez pior, bem pior. Segundo o site ‘O Antagonista’, Gilmar Mendes ‘aproveitou mais uma sessão da Segunda Turma pra atacar o instituto da delação premiada e o ex-procurador Marcelo Miller, envolvido no escândalo da JBS’. Na ocasião ele teria dito: “Já conheci procurador preguiçoso, conheci procurador louco, procurador bêbado; mas não conhecia procurador ladrão. E o Miller veio a revelar essa faceta”.

 

Gilmar Mendes, de novo! (2)
O site ‘O Antagonista’ questionou: “Pode um ministro do STF – um juiz – chamar um cidadão de ‘ladrão’ no plenário do tribunal, sem que haja provas judiciais para tanto?” E afirma: “Para Gilmar Mendes, a presunção de inocência parece ser apenas para quem ele presume ser inocente”.
Bem, hoje é quinta-feira. É às sextas-feiras que Gilmar Mendes prefere soltar seus ‘inocentes’…
Mas insistimos: ministros do STF soltarem presos temporários ou provisórios via habeas corpus não representa necessariamente absolve-los de seus crimes, bem entendido.

 

A CUT, a OIT e os sindicatos
O Brasil foi incluído recentemente na short list da Organização Internacional do Trabalho – OIT. É a lista suja, feita pela entidade, formada pelos países que não respeitam os direitos dos trabalhadores. Há quem diga que foi a CUT a maior responsável pela inclusão do Brasil na tal lista. E há quem diga que o maior motivo da Central Única dos Trabalhadores para tanto foi o fato de a reforma trabalhista ter tornado facultativo (antigamente era compulsório) o pagamento do imposto sindical.
Talvez seja tudo especulação em desfavor da CUT, mas o fim da obrigatoriedade do pagamento do imposto sindical provocou perdas de cerca de 80% nas receitas das entidades sindicais.

 

A CUT, a OIT e os sindicatos (2)
O Ministro do Trabalho brasileiro esteve em Genebra, sede da OIT, e reagiu à inclusão do Brasil na short list da organização. Helton Yomura argumentou que os sindicalistas haviam dominado a OIT e que, em razão deste fato, corre o risco de se tornar irrelevante: “Os sindicatos brasileiros vão ter de trabalhar muito mais depois da reforma que diminuiu sobremaneira o seu fluxo de caixa e aumentou a liberdade dos trabalhadores para fazer negociações coletivas sem o cabresto das centrais sindicais”.

 

Acesse a Gazeta Diário na internet em www.gdia.com.br

Olha a quinta-feira aí, leitor! Que ela seja de paz, conquistas e grandes risadas, ok?
Sorte e saúde sempre a todos!

 

Share

GDIA