Penitenciária e Ciudad del Este usará contêineres para abrigar presos
4 de junho de 2018
4 de junho de 2018

Nem 17 dias…
Foi o tempo que o governo federal levou para cortar a verba de duplicação da BR-469, uma das obras mais esperadas pela população e festivamente anunciada na metade do mês passado. E agora? Como é que fica a imagem dos políticos festejando o feito? Será que as demais obras anunciadas na mesma pegada também vão virar geleia?

 

Reloginho


O site Não viu? criou um “reloginho” com o efeito de ficar na cola das promessas de políticos. Todos os dias, o endereço eletrônico estampa a foto da “festa do anúncio”. E quem acreditou que o governo não sacrificaria os municípios para se livrar do prejuízo da greve?

 

Só uma saída
Se quiserem evitar o desgaste, nossos intrépidos representantes terão de bater pesado no governo para voltar atrás nessa medida esdrúxula de corte de verbas numa obra tão esperada. O Paraná TV segunda edição noticiou o caso na sexta-feira. Muita gente perdeu o sono de lá para cá.

 

Cida mandou ver
A governadora tomou a iniciativa de organizar uma frente para encarar Brasília numa conversa do tipo olho no olho com o governo federal. A intenção é reivindicar a manutenção do investimento na duplicação da Rodovia das Cataratas. Foi o secretário de Comunicação Social, Alexandre Teixeira, quem anunciou a intenção, no último sábado, em Foz. “Precisamos cortar custeio da máquina pública, e não cortar investimentos que fazem o país e o Paraná irem para a frente.” Falou e disse, Cida.

 

Dona Cida
Pois a governadora esteve em Foz no último sábado e, entre vários assuntos, assinou a licitação do esperado viaduto na entrada da cidade. O Corvo ficou sabendo da visita em cima da hora, para ser preciso, às 9h do mesmo dia, por meio da vereadora Nanci Rafain. É que o evento ocorreu no hotel da família. O super Roger Meireles acompanhou o encontro, gravou com as autoridades, e certamente a cobertura está bem detalhada na edição de hoje.

Recorde
Nunca um governador esteve em Foz tantas vezes em curto espaço de tempo. O Corvo já perdeu as contas das visitas da governadora Cida Borghetti, desde que assumiu a cadeira do Beto Richa; praticamente todas as semanas, ela despacha na cidade. Pode-se dizer que Foz é a sala preferida do atual governo. Se bem que, na condição de vice, ela vivia pela cidade, pois mantém uma legião de amigos na fronteira. E nesta semana, Cida estará de volta para um evento da Unimed, entre outras deliberações de seu governo.

 

Bastidores
Embora as pessoas sejam otimistas e cheias de fé na realização de algumas obras públicas, não era novidade essa ré na duplicação da BR-469. Segundo informações, ainda faltava muito para a obra ir em frente, cumprindo todos os ritos de uma empreitada do gênero. O tema era tão prematuro que o corte haveria de um jeito ou de outro, só não se esperava que aconteceria tão cedo; pegou foi carona no estrago causado pela greve dos caminhoneiros. O tema é de fragilidade tal que se algum político caísse e ralasse o joelhinho, seria o suficiente para cancelarem a duplicação da 469. Que barbaridade!

 

Pânico
Muitos estavam em desespero com a possibilidade de hoje, segunda-feira, iniciarem outro movimento paredista. Precisou o governo intervir nos noticiários para desmentir o que, segundo o ministro Raul Jungmann, “não passava de um fake”, pois o alarme se originou na internet. Ele deu “garantias” de que hoje tudo estará normal.

 

Caça
As agências do governo estão investigando e querem, a todo o custo, localizar e prender alguns responsáveis pela greve dos caminhoneiros. Segundo disseram ao Corvo, isso é ponto de honra, como forma de tentar impedir movimentos futuros. O foco é localizar os infiltrados. Tomara que não criem laranjas, já que estamos em ano político.

 

Normal
Pelo que consta, o abastecimento foi normalizado. Ainda há algumas brechas nas prateleiras dos supermercados, e os legumes, em especial o tomate (que o Corvo aprecia tanto), apresentavam manchas e deformações. Decerto é o resultado da maturação nos caminhões. Os combustíveis estavam na faixa de preço e, em alguns casos, mais baratos em vários postos.

 

No Bertoni
O Corvo foi convidado, meio que em cima do laço, para uma visita de Kattamaram ao Museu Moisés Bertoni. É uma nova iniciativa no campo do turismo, do Grupo Echaporã. O passeio aconteceu na sexta-feira, e a embarcação estava recheada de autoridades do Brasil e Paraguai. O trio Chico, Nilton e Rogério Quadros estava na lista dos VIPs iguaçuenses. A ministra do Turismo do Paraguai, Marcela Bacigalupo, também caminhou pela areia entre o Rio Paraná e a antiga casa do cientista, hoje um dos museus mais completos da região.

 

Prestígio
Entre os convidados do mais recente passeio ao Museu Bertoni estava a superintendente de Comunicação Social de Itaipu, a jornalista Patrícia Iunovich; detalhe: ela representou o diretor-geral brasileiro em exercício, Cezar Ziliotto. É para ver que a área de Comunicação da binacional está em alta; competência não é só para quem quer, mas para quem pode.

 

Desembarque

Mas olhando as fotos do passeio da semana passada, vêm à lembrança velhas imagens do tempo em que tudo chegava à região por meio do Rio Paraná, como na foto, no desembarque da Companhia de Fronteira, lá pela década de 30 do século passado. A cidade tinha uma pequena população quando recebeu um batalhão do Exército. Foz sempre à sombra dos impactos. O Corvo também trabalha a memória.

 

Placas irregulares
A prefeitura está fazendo uma blitz na infinidade de placas que as pessoas simplesmente fincam no solo público como isso fosse coisa normal. Não é, e uma publicidade mal inserida numa calçada ou esquina pode causar um acidente. E dá-lhe o povo pendurar cartazes e banners de festas e comércios principalmente nas entradas dos bairros. Anunciam até a chegada de remédios para combater a impotência no solo público.

 

Operação Muralha
Uns dizem que o saldo de apreensões não é lá o esperado. Vai ver a marginália está esperta e vai operar em outras bandas, ou melhor, em locais distantes de onde as operações se concentram. Esses criminosos de fronteira são meio ninjas em matéria de aparecerem nos locais mais inóspitos. Que saudade dos mascates!

 

E o IBOPE?
Vai ver é por causa do instituto de pesquisas que a governadora Cida estava faceira sábado. O instituto apontou um baita crescimento em sua pré-candidatura. Agora, a diferença entre Ratinho Jr. e Osmar Dias ainda está na faixa do aceitável. Com Requião no cenário, o quadro aperta geral. Vai que numa dessas Ratinho e Osmar voltam a conversar!

 

Conjecturas
Para antecipar os movimentos da política nacional, nem matemático dá conta. É mais fácil decifrar a teoria do buraco de minhoca. Mas há uma variante nisso tudo: o índice de rejeição dos políticos. Esse fator é que vai decidir a eleição, podem escrever.

 

Crise na Petrobras
Há uma choradeira pela volta do Pedro Parente, inclusive com a pressão do mercado internacional. O difícil agora é saber se ele saiu pela interferência ou se não passou de estratégia para capitanear um grande grupo privado. Para pessoas da área técnica, deve ser um porre ficar aturando ligação de políticos pedindo favores, contratações de amigos e, em alguns casos, ameaças. Num país como o Brasil, é difícil livrar-se desses malas.

Share

GDIA