Combustível chega ao Aeroporto de Foz do Iguaçu e normaliza situação
30 de maio de 2018
30 de maio de 2018

Camisetas em baixa
Um vendedor da feirinha confidenciou ao Corvo que o estoque de camisetas da seleção brasileira vai encalhar. É que recentemente muita gente já comprou a sua, mas não para torcer, e sim manifestar. Quem diria, em alguma oportunidade, uma camiseta da seleção ter dupla utilidade?

 

Bastidores
Os eleitores que não se enganem sobre as movimentações políticas na cidade. Enquanto a greve consome os canais de informação, há muita gente trabalhando no terreno das pré-candidaturas. “O que eu estou estupefato é que a esta altura ninguém teve a coragem de pedir um litro de gasolina”, revelou um pré-candidato a deputado estadual, ontem, para este Corvo. Mas aqui entre nós, só faltava essa, pedirem logo gasolina? Detalhe, o político pediu para o Corvo não publicar seu nome.

 

Tabuleiro
Prezado senhor Corvo, o quadro pré-eleitoral é claro para quem entende de política: os eleitores vão depositar fé em quem possui chances. Não adianta tentarem fabricar nomes sem condições acreditando que isso possa criar fato novo. A população, pelo visto, tem mais medo de inexperientes do que dos corruptos. A falta de experiência retarda o desenvolvimento e abre caminho para os aproveitadores; aqueles que se aproximam dos novatos dizendo-se “conhecedores” do assunto. Colocar um novato na política dá no mesmo em que entregar a chave do galinheiro para a raposa.
Maurício Ramos

O Corvo responde: sua explanação está próxima da realidade, mas é um tanto filosófica. Nesta semana, o Corvo conversou com alguns desses novatos, que pretendem brigar por uma candidatura. A pergunta foi: se você sabe que não vai levar e sua participação pode atrapalhar a eleição de alguém, por que insiste em se candidatar? E a resposta foi: “Todo mundo precisa começar uma vez na vida e se não der pelo menos apareço um pouco para as próximas eleições”. Quer dizer, o vivente não está nem um pouco preocupado com a cidade.

 

Teste
Há muita gente acreditando que a eleição é uma brincadeira, uma maneira de “aparecer” no cenário. Esse tipo de comportamento é que corrói as chances de uma cidade como Foz formar representatividade. De um lado uma porção de gente brincando de política; de outro, candidatos de longe. Que situação, hein? Lugar de começar na política é lançando candidatura a vereador, mas como todo mundo sabe que é difícil, o negócio é esculhambar a busca pelas cadeiras na Assembleia estadual e Câmara federal.

 

Ratinho, Osmar, Cida e Rosinha
Tudo leva a crer que eles se enfrentarão nos debates e serão as caras das urnas neste ano. Isso se não cair algum novo petardo envolvendo a turma do governo. O resultado por enquanto é igual ao de loteria.

 

Ratinho em Foz
Está confirmadíssima a visita do Ratinho Jr. Ele vai no embalo eleitoral, obviamente, visitando amigos, dando entrevistas e comparecendo a reuniões que estão sendo agendadas. Mas o foco parece ser a reunião entre a turma do PSD. Será que vão sentar e fumar um cachimbão da paz?

 

Bailão
Contaram para o Corvo que a Inês da Saúde está organizando outra festa, com direito a arrasta-pé, para quando o Ratinho estiver na cidade. Inês é pé de valsa e gostou de dançar com o Ratinho no sarau que organizou para a posse. Já a festa de despedida, ao que consta, foi abafada, pelo menos nas redes sociais.

Feriadão
Há uma séria dúvida sobre o que acontecerá com o movimento no turismo. Alguns hoteleiros estão queixando-se que o movimento caiu cerca de 40%, como este jornal noticiou ontem. Outros, no entanto, dizem que seus estabelecimentos estão lotados. O feriado pode ser uma caixinha de surpresas.

 

Carro ou avião?
Quem viajaria pelas estradas cancelou. O Corvo sabe porque haveria um encontro familiar em Foz, e todos os primos e primas desistiram. Ninguém quer correr o risco de ficar sem combustível ou encrencado num ponto de paralisação. Já quem usa os aviões ou aeroportos está de certa forma seguro, pois os voos para Foz estão operando quase que normalmente, informou uma fonte.

 

Dúvida
A pergunta mais frequente é: “Tá bom, eu chego aí em Foz e vou conseguir alugar um carro? Haverá táxis e outro tipo de mobilidade com combustível”? De fato, o questionamento é pontual. Mas, segundo se sabe, os taxistas estão dando um jeito de atender a clientela. O Corvo tem usado veículos do Uber e Garupa e tem se dado bem. Só o preço parece que aumentou significativamente. Parece que está mais barato usar os táxis.

 

A boa na rede…
Os caminhoneiros precisam assumir o Brasil de vez! Desde o início da greve parece que não morreu nenhum PM (apesar de alguns confrontos); o roubo de cargas está no patamar “zero”; as drogas não chegam aos estados e grandes cidades; a cracolândia esvaziou em São Paulo; não se fala em roubo, explosões de caixas eletrônicos e assaltos aos carros-fortes; não há engarrafamentos; desde o final de semana passado ninguém fala da Mariele! E o Lula? Ele foi completamente esquecido. Caminhoneiros no poder já!

 

Milicos no poder
Vários movimentos estão clamando a volta dos militares ao poder. Houve até manifestações em frente aos quartéis. Será que esse povo que vai às ruas e está acostumando-se a fazer manifestações do tipo imagina que com os generais no poder isso tudo vai continuar? Vai nada. O problema do brasileiro é subordinar-se às regras que ele mesmo cria. O Corvo deplora qualquer forma de governo que prive a liberdade ou coloque em jogo o direito à manifestação (pacífica), mas que estava na hora de esse governo pedir o chapéu e ir embora, isso estava.

 

A culpa é dos políticos
Anotem, estamos em ano político e escolheremos novos representantes: tudo, absolutamente tudo o que acontece de ruim neste país só vem de um lugar: do setor político. Por isso devemos renovar, arejar, procurar pessoas mais comprometidas com o povo e menos com o próprio umbigo.

 

Dona Cida
A governadora está fazendo um esforço para a liberação de combustíveis e gêneros de primeira necessidade, como é o caso do gás e alguns alimentos. O problema é que uns dizem sim, mas nos bloqueios a maioria não quer saber de conversa. Ontem, em uma de suas manifestações, a deputada Cláudia Pereira aparecia perto da Cida, do tipo papagaio de pirata. Será que ela está participando das rodadas de negociações?

 

Pelo povo
Agora sim: pela primeira vez os manifestantes começaram a falar em baixar o preço de produtos além do diesel, o combustível que os atende diretamente. Querem que o governo baixe o etanol e a gasolina! Outra corrente trabalha na redução do preço dos pedágios para automóveis de passeio. É desta forma que devolvem o apoio popular.

 

Apocalipse
Alguns economistas estão alarmados com o que pode acontecer após a greve. Dizem que será o apocalipse brasileiro, com o esfacelamento das reservas, o que na teoria ainda mantém a economia em pé.

 

Impostos
“Se o governo brasileiro reduzir um pouco a carga tributária nos derivados de petróleo, ainda poderá encontrar formas de equilibrar a situação, garantir o consumo e, de quebra, salvar a Petrobras, que está levando uma surra nas bolsas de valores.” É o que diz um dos editoriais do The Times. Salvação há, difícil é cortar o leitinho das tetas políticas, nas quais uma corja vive pendurada. Isso é que afunda o país.

 

De mala para saco…
O governo Chico Brasileiro arrecadou R$ 903 milhões em um ano, quase dentro da média orçamentária. E pensar que o esforço dos contribuintes, por enquanto, é destinado a salvar as contas estapafúrdias realizadas pelo antecessor. Que barbaridade. É o preço que a população paga por escolher um político desqualificado.

 

Investigação
Contaram para este Corvo que há uma investigação em curso sobre o “mensalinho” de R$ 6.200 que um mancebo ia buscar todos os meses, mais R$ 4.200 numa emissora de rádio, para variar, hoje sintonizando outra programação. A revelação teria surgido de uma delação. A propina garantia a defesa do grupo criminoso, convertido em governo corrupto pela Justiça, cuja quadrilha está encurralando-se cada vez mais.

 

Desespero
O caso é que o desespero parece ter batido abaixo da cintura do “pegador de propina”, pois ele tem assediado veículos de comunicação fazendo ameaças caso publiquem o seu cabeludo caso quando vazar. Imagina a grana que terá de devolver? Mais de R$ 8 mil por mês multiplicado por três anos e meio! Vai arrumar dinheiro onde? Lamentamos informar, mas quando este Corvo tiver acesso aos dados, vai comentar — e em detalhes — com o maior prazer.

 

Péssimo momento
Este Corvo foi ineditamente abordado por alguém que se dizia pesquisador e, ao que se imagina, trabalha num levantamento de dados na terrinha. O “pesquisador” inclusive é morador de Foz e revelou que é contratado seguidamente pelos institutos. O caso é que ele não está encontrando ambiente para conversar com as pessoas. Ninguém quer muito saber de política, principalmente na tensão das paralisações.

Share

GDIA