21 de maio de 2018
21 de maio de 2018

Olá. Bom dia, leitor!
‘Carpe diem!’
– Hoje, segunda-feira, dia 21 de maio, comemora-se o ‘Dia da Língua Nacional’;
– Também hoje se comemora o ‘Dia Mundial da Diversidade Cultural para o Diálogo e o Desenvolvimento’, estabelecido pela UNESCO;
– No Brasil se comemora o ‘Dia do Profissional de Letras’.

Venezuela
Ontem, domingo, a Venezuela deu outro grande passo no sentido do retrocesso: as eleições serão vencidas sim ou sim pelo presidente de turno, Nicolás Maduro. A situação venezuelana é tão ruim que os candidatos ditos de oposição nada mais são que dissidentes do chavismo que dizem ter rompido com o presidente Maduro. Tudo uma enorme farsa; e as eleições outra grande fraude. A oposição de verdade da Venezuela está ou na prisão ou no exílio.
E por aqui, como sabemos, há quem apoie a ideia bolivariana de Nicolás Maduro!

Três perguntas
Comparto com meus diletos leitores três perguntas feitas pelo repórter Caio Junqueira (revista Crusoé) ao senador Romero Jucá, de Roraima, presidente do MDB, líder no Senado de todos os governos que passaram pelo Palácio do Planalto desde 1995:
. O senhor é acusado de ser corrupto. O que diz disso?
– Eu não sou corrupto. Até agora não foi provado nada contra mim. Pelo contrário, três processos já foram arquivados. Continuo tranquilo.
. O senhor enriqueceu na política?
– Não enriqueci na política.
. Embora seu patrimônio declarado em 2010 seja de 607 mil reais, recentemente o senhor gastou meio milhão só em móveis para um closet e uma cozinha gourmet. Não é estranho?
– Aquilo foi meu filho que comprou.

O fim inexorável
Quem viu a foto do ex-ministro José Dirceu dentro do camburão da Polícia Federal na última sexta-feira (18) pôde perceber que aquele instante ilustrava de forma contundente o fim de uma epopeia. A prisão de José Dirceu, somada às de Luiz Inácio Lula da Silva e de Antônio Palocci Filho revelam que o PT está em coma. E para piorar muito o que já está ruim, a atual presidente do partido, Gleisi Hoffmann, está à beira de um julgamento no STF que poderá selar definitivamente sua sorte na política.
Faz lembrar do adágio que enuncia: ‘você pode escolher o que vai semear, mas é obrigado a colher o que plantou’.

Doença sem fim
O IBGE informa que em 2017 ‘a taxa de analfabetismo diminuiu, mas não saber ler ou escrever ainda atinge 11,5 milhões de pessoas com 15 anos ou mais. Já as diferenças regionais e raciais seguem em patamares praticamente idênticos: os índices são bem maiores no Nordeste e entre negros e pardos’.
Tem mais: ‘campeã em analfabetismo, a região Nordeste teve taxa de analfabetismo de 14,5% para pessoas com 15 anos ou mais de idade (no país todo a taxa é de 7%); também no Nordeste pessoas com 60 anos ou mais que não sabem ler ou escrever um bilhete simples são 38,6% (a mesma taxa é de 10,6% no Sudeste)’.
Agravante: não confundir o analfabetismo puro e simples com o analfabetismo funcional, ok? Amanhã falamos mais a respeito, ok?

Bom início de semana, leitor! Que nossa jornada seja de ótimas oportunidades, ok?
Sorte e saúde sempre a todos!

 

Share

GDIA