16 de maio de 2018
16 de maio de 2018

Violência
Os crimes ocorridos nos últimos dias estão deixando a população em polvorosa. A situação parece de extermínio, o que demonstra a possibilidade de fortalecimento das facções na área de fronteira. Instituições federais estariam trabalhando redobradamente e com forças de inteligência para detectar essa possibilidade, de grupos criminosos dos grandes centros terem se instalado na zona de fronteira.

Cadê a escola?
Se depender do depoimento de Eduardo Lopes, dono da construtora encarregada de construir escolas no Paraná, estão explicadas as obras que nunca saíram dos alicerces. O dinheiro não comprava tijolos, cimento, carteiras, cadeiras, não dava para fazer a cantina nem a quadra esportiva… ia parar no bolso dos políticos, nas campanhas eleitorais. É o fim. Beto Richa que se prepare, pois, segundo informações, a batata está dourando.

 

Quadro-Negro
E quando surgiram as primeiras denúncias, o que se viu foi um corre-corre para afastar uns, investigar outros, enfim… a impressão é que não passava de teatro. Os depoimentos estão fazendo a terra tremer nas cercanias do Palácio Iguaçu.

 

Limpa
Contaram para este Corvo que a governadora Cida Borghetti estuda um modo de trocar todos os nomes ligados ao governo Richa. Ela ainda conserva secretários, diretores e nomeados pelo ex-governador. Depois dos petardos, não deve restar um brotinho da árvore chamuscada. Não há como negar um strike, o que já chamusca a pré-candidatura de Beto ao Senado da República.

 

Faceiro
Roberto Requião estaria conversando com dois pesos pesados do marketing e em nada envolvidos com escândalos de campanhas no passado. Detalhe, eles é que procuraram o senador, pois acreditam que o fogo cerrado em Beto pode resvalar gravemente em Cida e Ratinho, devido às ligações de ambos com o governo. No discurso, Requião acredita que pode sensibilizar o eleitor em busca de mais um mandato de governador.

 

Nem tanto
Mas preocupados com esse resvalamento, tanto Cida como Ratinho possuem indicadores de que ainda estão distantes do tiroteio. A agitação levou os institutos para as ruas. Não demora teremos dados que refletirão a tonalidade do quadro, se ele é negro para uns e nem tanto para outros.

 

Nova estratégia
Osmar Dias, em vias de colar no Ratinho, estaria na mesma linha de Roberto Requião. Contaram para o Corvo que sua equipe de estrategistas possui um cabedal de informações que sugerem um voo solo e, se possível, na base da chapa pura.

 

Na ciência
Os políticos estão divididos em relação às eleições deste ano. Uns acham que será uma devassa na vida de quem possui manchas na carreira, por isso acreditam numa renovação histórica. Mas os cientistas sociais é que esfregam as mãos. Estão ansiosos com os resultados; eles oferecerão um cabedal de novas situações, tendências e comportamento de uma população surrada pela corrupção. O político vai para a cadeia, mas quem apanha de verdade é o povo, que pagou impostos e viu o esforço ser desviado pelos vilões do erário. “Há um laboratório de imensas possibilidades, entre elas de se acertar o Brasil para o futuro”, disse um sociólogo que pediu para o Corvo não divulgar o nome. Tomara que ele esteja correto.

 

Marmita
O dono de um restaurante de Curitiba estaria desenvolvendo um cardápio para um cliente especial. Os pratos não são em nada requintados, mas recebem, segundo informações, a orientação de um nutricionista. É que o ex-presidente Lula resolveu aproveitar o confinamento para tratar da saúde; está fazendo mais exercícios e mantendo a forma por meio de alimentos balanceados. Se as quentinhas estão sendo entregues, isso o Corvo não conseguiu saber com exatidão, mas consta que a cantina da Polícia Federal em Curitiba é muito boa.

 

Sem esteira e frigobar
Lula teria confidenciado a um agente sua tristeza diante de não poder equipar o cafofo com esperava. Não terá home theater, esteira, alvo e dardos; não poderá adesivar estrelinhas fluorescentes no teto nem arriscar uma mão de canastra, pois os virtuais parceiros para completar uma mesa estão em outro andar. Diante da lamúria, o agente teria dito: “Presidente, Nelson Mandela não teve nada disso, só acessava os livros da prisão”. A observação não acalentou o preso.

 

Vizinhança arredia
Depois do arranca-rabo entre um policial aposentado e os seguidores do Lula no entorno da Delegacia da PF, em Curitiba, parece que o resto da vizinhança criou coragem e começou a dificultar a vida dos manifestantes. Uma moradora teria ordenado a desmontagem de uma barra a vassouradas. O tempo passa e a área está aos poucos sendo desocupada.

 

Lula candidato
Há quem ainda acredite piamente que o ex-presidente consiga livrar-se da cadeia e dos processos e readquira condições para disputar as eleições deste ano. Aqui entre nós, é mais fácil um asno voar e falar.

 

Incidente
O fanático religioso Inri Christo, acompanhado de meia dúzia de beatas, teria aparecido no prédio da PF para tentar conversar com Lula. Ao se aproximar, ouviu um agente dizer: “Lá vem o Dr. Rosinha”. Foi o bastante para o Jesus cover rodar a baiana. Bom, o Dr. Rosinha não deve ter gostado nada da comparação, apesar da semelhança.

 

Dinheiro para a Fartal
De novo Chico Brasileiro precisou pedir suplementação de verbas para a realização dos festejos do aniversário de Foz. Estamos em maio, e a grana da Fundação Cultural já se foi. Não seria o caso de estudarem uma forma de formalizar uma medida orçamentária mais adequada para a área cultural? O orçamento da fundação sempre foi muito apertado, e remanejar verba é algo que, no fim das contas, gera muita discussão.

 

Pão, circo e asfalto
O Corvo sonhou: se vivêssemos na Roma antiga, no lugar dos artistas, teríamos os leões comendo um ou outro vereador na arena da Fartal, e o Chico teria de jogar pão para a plateia. Mas isso não seria o suficiente para acalmar o povo; alguém reclamaria dos buracos e a quebra constante das “bigas”, aquelas carroças que os romanos usavam. Só o pão e o circo não seriam suficientes. Na lista de atrações, a mais disputada seria a Nanci Rafagnin correndo da leãozada. Deve haver explicações para a produção do subconsciente enquanto dormimos.

 

É hoje
Mesmo na vida real, alguns recintos da Câmara poderão converter-se num Coliseu nesta quarta-feira. É quando vão adiante, os trabalhos sobre a fatídica visita de Nanci ao Rock in Rio, no ano passado, o que lhe valeu uma CI. Hoje serão ouvidas cinco testemunhas de acusação. O que essa gente irá dizer? O Corvo sabe os nomes, mas preferiu não publicar…

 

…Não deu para segurar
As testemunhas de acusação da Nanci, em parte, são os acusadores. São eles: Enrique Aliana, Mauro Mota Martins, Marcelo Rodrigo de Abreu Angeli, Sidnei de Oliveira Novaes Júnior, Maxsuel Fidelis de Pádua Almeida e Andréia Moranda de Castro. O Corvo copiou do site Não Viu?.

 

Sexta-feira
Mas se fossem vendidos ingressos para este evento nada convencional, eles estariam esgotados, especialmente no dia 18, quando é a vez de a Nanci explicar-se. Contaram para o Corvo que já há arrependidos nessa fogueira armada para tentar queimar a vereadora.

 

Felipe Wandscheer
De fato andar pela pista enquanto está sendo ampliada é uma espécie de aventura para alguns motoristas, especialmente se o veículo for velho, daqueles que vão deixando peças pelo caminho. Aquela obra é um raro caso em que é impossível interditar uma pista e liberar o tráfego em duas mãos na outra. O problema é que não há espaço. É o tipo de obra perdulária, cujo resultado seria bem melhor se deixassem como estava.

 

Horror
E para uma cidade como Foz do Iguaçu, cuja população em motocicletas é acima do normal, possuir uma via com aquela plantação de postes no meio é como dar um revólver carregado para uma criança brincar. Pelo visto gastam mais com o deslocamento da rede elétrica do que com a duplicação em si. Uma vergonha! É obra marca Reni, coisa para não esquecer na vida. Se alguém esperava que a duplicação agilizasse o trânsito, pode esquecer.

 

Esquina estranha
Com a duplicação, será necessário sinalizar melhor alguns acessos. Um deles é um pequeno trecho da Rua Dirceu Lopes, onde fica o “Planeta Bola”, um conjunto de canchas esportivas. Poderiam aproveitar e transformar o trecho em contramão para quem vai no sentido da Felipe Wandscheer.

 

Share

GDIA