Foz do Iguaçu recebe etapa de cicloturismo no dia 20 de maio
15 de maio de 2018
15 de maio de 2018

Invasão
O iguaçuense precisa preparar o espírito e o coração, pois segundo consta a “lei do tráfico” mudou de rumo na cidade. Com a intervenção no Rio de Janeiro, muitos comandos ordenaram a invasão da faixa de fronteira, e Foz é destino certo para os traficantes. A intolerância com devedores teria aumentado, como forma de “dar o exemplo” para quem compra a droga e não paga.

 

Chacina
A execução de três jovens consumada no final da semana, aparentemente, não possui relação com o tráfico. O motivo parece ser mesmo uma desavença no trânsito. Imagina? Mas independentemente da motivação, Foz — em alguns aspectos — parece-se com terra sem lei, quando o assunto é vingança. É uma situação aterrorizante. Um vigilante que não tinha nada a ver com a situação também acabou morto.

 

Pavor
Segundo informações, um trio de adolescentes e desocupados está impondo o terror nas imediações da Vila Carimã, Novo Horizonte e adjacências. Eles circulam de bicicleta, são tatuados e, em geral, ficam fumando maconha nos matagais da redondeza. Arrombaram nada menos que seis contêineres de obras num loteamento e três residências. Os moradores estão atentos e já registraram as ocorrências.

 

Receptadores
E os bens furtados? É a pergunta que todo mundo faz: “Cadê a minha TV, meu computador, as coisas que levaram”? É difícil reaver o fruto dessas aventuras promovidas pelos ladrões, mas se a polícia der uma sacudida em alguns pequenos comércios vai descobrir a falta de notas fiscais e recibos. Quer dizer, muito do que há em exposição pode sim ser fruto de receptação. Vai uma dica para os comerciantes de eletrodomésticos usados: peçam nota, cópia dos documentos de quem vendeu, façam recibos com número de identidade, dificultem a ação dos ladrões. Na inocência muita gente acaba entrando em fria.

 

Organização sinistra
Há um silêncio envolvendo boa parte das vítimas desses furtos nos bairros. Muita gente não faz BO. Isso é ruim. Isso é assunto para a polícia, e de forma alguma os moradores devem reagir ou tentar “investigar” o roubo por conta. É muito perigoso. O Boletim de Ocorrência é a medida mais eficaz para ajudar a diminuir os furtos qualificados.

 

Interferência
Não é de hoje que a gente ouve recados das operadoras em espanhol em algumas localidades da fronteira. As antenas do Paraguai e Argentina possuem impedância diferente da dos aparelhos fiscalizados pela Anatel e, naturalmente, interferem neles. Até as emissoras de rádio sofrem com o peso dos transmissores dos vizinhos.

 

Tempo de espera
Taí uma tarefa difícil para os vereadores e Foz: reduzir o tempo de espera na fila dos atendimentos na área de saúde. Como é que se faz um milagre desses? Será que para reduzir o tempo no atendimento não seria necessário melhorar o sistema? Sim, porque faltam médicos, há uma avalanche de casos de improbidade envolvendo a área, levando em conta a administração anterior; os hospitais e postos de atendimentos são deficientes, carecem de investimentos, enfim, não dá para fazer mágica. Atendimento na área de saúde é um problema crônico. Agora, se é possível pelo menos melhorar isso, são outros quinhentos.

 

Riqueza
Corvo, não é difícil concluir que o dono de uma fortuna nababesca viva pra lá de confortavelmente. É o caso do doleiro Dario Messer. Dono de fazendas e diversos empreendimentos, com dinheiro transbordando mais que o cofre do Tio Patinhas, ele só poderia levar uma vida de marajá.
Marcos BG Brestanini

 

Simplicidade
Alguém disse para o Corvo que Messer era muito acessível, dirigia o próprio carro, fazia compras no supermercado, açougue e vivia visitando os comerciantes em Ciudad del Este e até do lado brasileiro. Foram vários os testemunhos nesse sentido. Messer não leva jeito de avarento, do tipo que se enruste para não acharem que é rico. Mas em geral, quando pessoas assim são devassadas pela Justiça, depois de se meterem em enrascadas, é natural que a grande imprensa faça uma varredura em suas vidas, descobrindo situações adversas.

 

Prorrogação
Em Foz, várias obras com prazo para a entrega nos primeiros meses deste ano estão sendo anunciadas para junho. Algumas estão funcionando, mas a inauguração acontecerá na semana do município, entre 4 e 10 de junho, que, aliás, cai num domingo.

 

Em Santa Terezinha
Tem muita gente apostando se a Fartal emplacará o mesmo sucesso da Fespop. Depende. O sucesso da festa em Santa Terezinha é paradoxal; ganhou mídia nacional mais pela prisão do prefeito do que outra coisa. Mas quem prestigiou o evento diz que a organização matou a pau, como em anos anteriores.

 

Comparativo
O caso é que não existe comparação, mesmo sendo eventos similares. Acontece que pela proximidade das datas, praticamente 20 dias entre uma festa e outra, os organizadores são cuidadosos em não repetir as atrações. Quem vai à Fespop também frequenta a Fartal. É a região quem lucra com isso.

 

Sem voto
Os políticos não podem pedir voto. Eles estão sondando os eleitores sobre a viabilidade de efetivarem a candidatura nas convenções partidárias. É por isso que o período é conhecido como pré-eleitoral. Quem for flagrado, ou gravado, pedindo votos pode complicar-se na hora de sacramentar a vaga na disputa.

 

Vistoria
Corvo, agora o Corpo de Bombeiros vai intensificar a vistoria nos bares e casas noturnas da cidade. Foi um edifício pegar fogo em São Paulo que começa tudo de novo, igual quando a boate Kiss incendiou no Rio Grande do Sul. É certo isso?
Regina Magalhães

O Corvo responde: é certo sim. Aliás, o Corpo de Bombeiros em Foz está sempre em ações de vigília e faz o que todos deveriam fazer no Brasil: prevenção! Fica estranho imaginar que uma pessoa não queira que um destacamento tão valoroso deixe de cuidar das instalações das casas noturnas da cidade. Oras, quanto mais a documentação e as instalações estiverem em conformidade com a legislação, mais seguro será para os frequentadores.

 

Cê na sexta
O evento está ganhando forma e começou a atrair a atenção dos iguaçuenses. É normal as pessoas reclamarem da falta de eventos culturais e não os frequentarem quando acontecem. Isso está mudando.

 

A Casa
Foi um sucesso total a noite de música, gastronomia e vinhos promovida pelo espaço em Foz. Mais de 120 pessoas disputaram espaço pra um belíssimo recital de jazz. Os organizadores já estão pensando em outra atração. Quem frequentou o evento do último sábado saiu com sorriso rasgado!

 

No Paraná
E agora, hein Corvo, que barbaridade esse envolvimento do Beto Richa nesses rolos envolvendo empreiteiras! É mais um que vai apanhar na opinião pública. Como ficam as eleições, seu Corvo?
Maurício Vilella

O Corvo responde: prezado leitor, por enquanto há suspeitas de envolvimento. Houve uma denúncia, e a Justiça vai apurar. É cedo para pesar a culpa sobre atos suspeitos. No mais, o Corvo também não possui bola de cristal para saber o que acontecerá em outubro, pois ainda estamos em maio. Devemos ter calma.

 

Aplicativos garantidos
Segundo informado, há mais de 35 liminares garantindo os aplicativos de mobilidade na cidade. Com um placar assim alguém acredita que se conseguirá reverter a situação? O governo deveria jogar a toalha, pois a situação é a mesma em todo o país. Se os usuários não aprovassem a novidade até seria uma desculpa para a fiscalização. Taí uma dor de cabeça para os táxis e outros meios normais de transporte por concessão. O mundo gira e a Lusitana roda.

 

Tristeza
Ontem recebemos a notícia sobre o falecimento do Sr. Orígenes Capellani, um pioneiro do ciclo da madeira em Foz; alguém cujo nome e empreitada se confundiam com a história da nossa região. Ele morou em Foz durante um tempo, mas nunca perdeu a cidade de vista. Aqui vão os nossos sinceros votos de pesar aos familiares.

Share

GDIA