Governo reforça segurança da fronteira com novo helicóptero
11 de maio de 2018
11 de maio de 2018

Posse
Prestigiada a posse do jornalista Alexandre Teixeira no cargo de secretário de Comunicação do estado do Paraná. Foi na tarde e noite de ontem no Recanto Park. E o Alexandre, que estava em importante assessoria na binacional, está decidindo se atuará como bombeiro ou toureiro. Isso se dá pela falta de dinheiro na pasta, pois precisará apagar os incêndios e esquivar-se da lista de veículos de comunicação cujas promessas do último governo não foram cumpridas como se esperava. Beto foi mão de vaca em matéria de campanhas do governo. E não para por aí, Alexandre terá pela frente os rigores de um ano eleitoral, em que é proibido pagar anúncios sobre obras e realizações do governo. Mas como ele é competente e possui crédito moral com os veículos, deve suplantar o período sem dores de cabeça.

 

Mais nomeações
Gessani da Silva é o novo coordenador regional da Casa Civil e estava com um sorriso bem rasgado. Os últimos tempos não foram fáceis para o ex-vereador, isso não é segredo. Por fim, Elizabeth Lopes assume o Núcleo de Educação.

 

Bola cheia
A recente sanção do presidente Temer, sobre a participação dos municípios lindeiros nos royalties, deixou Itaipu com a bola mais cheia do que já estava. Chico Brasileiro faltou soltar foguetes da sacada do Palácio Cataratas. Pudera, R$ 26,5 milhões a mais em recursos livres é uma boa grana.

 

Paternidade
E como estamos no vácuo pré-eleitoral, portanto época de se levar vantagem em tudo, o que mais se viu ontem foram políticos e partidos tentando assumir a paternidade do aumento nos royalties. E dá-lhe gente irritada quando algum rival bate no peito sobre a participação no processo. A verdade é que o mérito, portanto os louros, é da Associação dos Municípios, com a ajuda das bancadas, mas isso é uma obrigação de quem defende uma região. Todos os deputados que interagiram, prefeitos, secretários, associações, todos são os responsáveis pelo resultado. Isso não pode ser atribuído a individuais.

 

Onde gastam
Foz é uma cidade cheia de urgências e emergências, sobretudo depois do hecatombe causado pelo Reni e sua turma; sendo assim, é até natural que o governo use dinheiro dos royalties para socorrer o desenvolvimento em muitas áreas. Mas e as demais cidades? Este Corvo deu um giro pela região não faz muito tempo e não viu iniciativas justificáveis, com o aproveitamento desses royalties. O queixo deveria cair em decorrência de algumas obras, pois é muita grana considerando o tamanho de algumas localidades. As estradas são uma porcaria; as cidades, sujas; e parece não haver benfeitorias. Onde gastam o dinheiro? Puxa vida! Esse montante é para gerar desenvolvimento, não para pagar a conta da má gestão.

 

Mais uma praça
O Governo do Estado liberou outra verba para construção de uma praça e uma área de lazer para a população, desta vez na região de Três Lagoas. Foi a vereadora Inês Weizemann quem anunciou. O montante é de R$ 1.035.074,27. Tomara que dessa vez invistam o valor e prestem conta, diferentemente do que aconteceu com as praças da Paz, Mitre e Bíblia, convertidas num horror em matéria de aproveitamento, sem mobiliário e que ficaram piores do que estavam.

 

Lojas francas
A cidade enfrenta uma discussão que abarca todos os setores. Há várias correntes, e uma delas quer estabelecimentos “francos” em todo o perímetro urbano. A maioria pensa o contrário, que as free shops devem ser espaços amplos, organizados, bancados por grandes marcas, fabricantes de produtos do mundo todo e organizações que já atuam na área, o que ordenará um desenvolvimento de horizonte seguro. Na cidade onde às vezes o rabo morde o cachorro, só falta escolherem o modelo errado.

 

Ciclos
Foz viveu o ciclo da erva-mate, da madeira, de Itaipu, do comprismo e do turismo e viverá o ciclo do comércio com isenção de impostos. Oxalá encontrem maturidade e cabeça no lugar para receber esse novo ciclo, porque ele pode ser um divisor de épocas, como o tempo em que a cidade patinava no barro e dele não saía, e um novo tempo de progresso e crescimento, porque usar a cabeça para se instalar no mercado de produtos de grande interesse é uma forma de se ligar com todos os continentes.

 

Lojinha do Kamal
Na verdade o Kamalito é um lojão, de vários andares e departamentos. E o que está chamando a atenção é a queima dos estoques que o Kamal Osman está promovendo, inclusive ele faz as vezes de garoto-propaganda. No trocadilho, ele diz que está liquidando para “fechar” a loja. Não é segredo que ele pretende instalar lá uma free shop. Há quem garanta que se antecipou. Mas como é um empresário antigo e merece respeito, o Corvo dá essa forcinha para o “brimo” liquidar de vez o estoque de calcinhas e tudo mais!

 

O sufoco do Cláudio
Contaram para este Corvo que Santa Terezinha não dormiu com a prisão do prefeito, vereador e ex-secretário. Literalmente não se falava em outra coisa. Segundo os comentários, Cláudio foi para a delegacia tranquilo na quarta-feira, dizendo que voltaria antes das 14h, pois havia muito a deliberar sobre os preparativos para a maior festa da cidade. Que nada, foi parar no presídio estadual — e, como a prisão é preventiva, não deve sair de lá em tempo de curtir os shows e o camarote destinado a ele. Que barbaridade.

 

E a festa?
Pois é, chega ser estranho assistir ao noticiário e, nos intervalos, às inserções comerciais da Fespop, com tantas e grandes atrações, entre as maiores celebridades da música. Muitas pessoas estão acreditando que a prisão do prefeito pode causar influência na realização do evento. Segundo informado, o baile segue normalmente, a festa está confirmadíssima.

 

Suspense
O Corvo liga para as fontes e vai colhendo informações acerca de todos os acontecimentos. Até ontem (pelo menos no início da tarde), a Prefeitura de Santa Terezinha não havia sido informada oficialmente sobre o afastamento do prefeito. A única manifestação quanto ao ocorrido seguia por conta do Ministério Público. Sem a informação oficial, estava difícil trabalhar a posse da vice, a professora Neide. E foi mais ou menos isso que o diretor da Câmara esboçou ao ser entrevistado.

 

Abalo
Se Cláudio é prefeito pela quarta vez, é natural que seja alguém de muita popularidade, logo uma prisão é como explodir uma bomba atômica na cidade. Quase tudo parou. Os advogados tentarão um habeas corpus.

 

E tem mais…
Ao que consta, o GAECO atua em mais duas operações que estão para estourar. Elas também envolveriam políticos dos altos escalões municipais de outras duas cidades que compõem o extremo oeste. O órgão trabalha há meses nas investigações, pois se fundamenta em vasto material para sustentar as ações. A margem de erro do GAECO tem sido mínima em relação aos casos que apura e nos quais atua.

 

Detector de corrupção
Um programa de reconhecimento facial vai perturbar a vida de muitos políticos. Na verdade já está perturbando. Ele será a vedete dos programas gratuitos na televisão. A cara do candidato aparece, o telespectador passa o celular e, em seguida, aparece na telinha toda a vida do político, a começar pelos processos a que responde. Considerando que quase todo brasileiro possui um smartphone, a novidade pode causar uma devassa.

 

Marcelão
Um velho conhecido pelos crimes praticados na internet por segregação, racismo, etc… etc… caiu mais uma vez. Há quem não aprenda mesmo. Marcelo Mello pode pegar até 40 anos de cadeia pelos vários crimes que voltou a cometer, acreditando que nas redes sociais cabe qualquer tipo de expressão. Puxa, incitar o terror? Dá um tempo!

 

Noite de jazz
Neste sábado “A Casa” abriga uma noite de boa música, bons queijos e vinhos. Os ingressos já começaram a ser disputados para ver o grupo curitibano Jazz Cigano Quinteto e, é claro, o que mais será oferecido. Consultas e reservas com o Tadeu pelo celular (45) 99804-5469 (leia mais em matéria nesta edição).

Grande Doniseti!
Ele é o mais recente Cidadão Honorário de Foz, em título que lhe foi concedido ontem, diga-se, merecidamente. Doniseti Melo crava seu nome na galeria de pessoas que fizeram pela cidade. Estamos na plenitude de orgulho pelo amigo!

 

 

Share

GDIA