Segunda rodada da Copa Foz teve goleadas neste domingo
7 de maio de 2018
7 de maio de 2018

 Deu o pinote

 

 Dois dias antes da Interpol chegar em sua mansão em Hernadarias, o megadoleiro Dario Messer já tinha escapado, levando tudo o que podia. Sinal de que alguém avisou ele que havia uma ordem de captura internacional expedida pela justiça brasileira. Messer é amigo das principais autoridades paraguaias e deve estar escondido no Departamento de Alto Paraná.

 

Messer e Aécio

 

As investigações relacionadas ao doleiro Dario Messer, considerado o ‘doleiro dos doleiros’, podem complicar ainda mais o senador Aécio Neves (PSDB-MG). Isso porque o empresário Alexandre Accioly, apontado pelas empreiteiras Odebrecht e Andrade Gutierrez como ‘laranja de Aécio’, era um dos principais clientes do banco EVG, de Messer, usado para lavagem internacional de recursos.

 

Travecos em ação

 

Um policial federal a paisana chamou a PM para registrar uma ocorrência inusitada. Ele estava em uma viatura descaracterizada no Beverly Falls Park quando teria sido abordado por seis travestis, que invadiram sua viatura descaracterizada e lhe tomaram R$ 450 usando estiletes. Quando a PM chegou, quatro travecos fugiram e dois foram detidos. Eles disseram que o policial fez um “programa” e não queria pagar. O cara é de Brasília e estava em Foz fazendo uma investigação. Essa história mal contada ainda vai dar muito o que falar.

 

Voto impresso

 

Em sessão administrativa realizada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), definiu-se que a implantação do voto impresso no Brasil será feita de maneira gradual.  Para as eleições deste ano, serão 23.000 conjuntos de impressão de votos distribuídos em todo o país de forma proporcional ao eleitorado de cada estado. O Paraná receberá 1.248 conjuntos.

 

Mais perto de Temer

 

O policial militar Abel de Queiroz disse ter feito pelo menos duas entregas de dinheiro vivo ao advogado José Yunes, amigo de Temer. Abel é testemunha no inquérito que investiga pagamentos da Odebrecht ao MDB, previamente acertados com Temer no Palácio do Jaburu, em 2014 no valor de R$ 10 milhões.

 

Um perigo

 

O WhatsApp permite que o usuário exporte os dados da sua conta na versão de testes do app para Android. Após solicitar o relatório, o mensageiro demora algumas horas para processar as informações e disponibilizar o download. Entretanto, o arquivo permanece disponível por algumas semanas, o que pode permitir que outras pessoas acessem os seus dados indevidamente. Saibam como apagar no Techtudo.

 

Share

GDIA