4 de maio de 2018
4 de maio de 2018

Faixas
A Câmara Municipal foi tomada por faixas na manhã de ontem. Elas estampavam apelos para que os vereadores não fossem coniventes com o assédio sexual. Uma dessas faixas clamava uma ação do vereador e presidente do Legislativo, Rogério Quadros. O interessante é que quem segurava a faixa se escondia atrás dela. Pelo menos não quis sair nas fotos que foram distribuídas à imprensa.

Duplamente confuso
Das duas uma, ou as faixas eram destinadas a um vereador, acusado de envolvimento em imbróglio recentemente, ou o tema era alusivo à polêmica sobre o ensino da ideologia de gênero nas escolas municipais, pois denunciar assédio faz parte dos temas abordados na orientação sexual. (Foto enviada pelo Enrique Alliana.)

 

Medo do leão
Os iguaçuenses superaram a expectativa da Receita Federal. Quase 49 mil declararam o Imposto de Renda no prazo. É possível que o número alcance facilmente as 50 mil declarações, pois muita gente não conseguiu cumprir o prazo e vai declarar com multa.

 

Excesso de velocidade
Mais de 11 mil pessoas foram multadas nas estradas paranaenses. O caso é que não é nada difícil ser multado, pois há locais onde os controladores não estão identificados e a sinalização de velocidade é confusa, não se sabe se é 80, 110 ou 60 km/h. A infração é média, mas a multa é alta, R$ 104,13. Leia-se estradas paranaenses, a BR-469, onde muita gente exagera na velocidade, a começar pelos táxis. Em alguns pontos a velocidade é 60 km/h, e a tolerância é até 64 km/h. Quem passar a 65 km/h vai receber a fotografia do veículo em casa.

 

Cerco ao cadeirante
Pois é, como a polícia vai saber que num veículo em fuga, furando semáforos e andando na contramão, o motorista é um cadeirante? Difícil. Mandaram bala nos pneus traseiros, e mesmo assim o cadeirante não parou. Que ideia, hein?

 

Drogas e dinheiro
Este Corvo detesta noticiar casos policiais, mas ultimamente não há formas de escapar. Há muitas ocorrências envolvendo menores. Ligaram para este colunista informando um caso típico e que se tornou um drama às famílias: um jovem (maior) teria oferecido o endereço dos pais e facilitado um furto. Em troca receberia drogas. Segundo informaram, vários bens já haviam desaparecido na residência. Infelizmente é assim que fazem. Os pais, temendo a prisão dos filhos, muitas vezes suportam os seus atos e não procuram as autoridades.

 

E o que fazer?
Dar bronca não adianta, muito menos apelar para o chinelo. Conversar e tentar convencer os filhos sobre o sofrimento da família ainda é o melhor caminho. Muitos são sensíveis e acabam dando a volta. Quem usa drogas, álcool e se prevalece acredita estar cheio de razões. O mundo sempre está errado para pessoas assim; apenas elas estão certas. Conversar é a saída mais honrosa e correta.

 

Balanço no Legislativo
Chico prestou contas na Câmara como Maomé foi à montanha. Em seu balanço há ênfase nas questões ambientais, como é o caso da recuperação do Rio Boicy e um desdobramento muito maior na questão da coleta seletiva. A obra de recuperação do rio que corta a cidade não é pequena, mas ao que consta haverá ajuda internacional. Bom, o que não falta no mundo é dinheiro para tratar o meio ambiente.

 

E a coleta do lixo?
Taí uma operação interessante: a população se dedica à separação do lixo em casa, com o orgânico de um lado, informática do outro, latinhas e resíduos em compartimentos especiais, sendo tudo deixado cuidadosa e separadamente na calçada, aí o lixeiro passa e joga tudo no mesmo caminhão! É o tal “tudo junto e separado” que vai parar no aterro sanitário.

 

Campanhas
E olha que já fizeram campanhas educativas em Foz de se perder a conta. A população assimila, mas acaba desanimando. Triste é vem algumas ruas da cidade cheias de lixo, móveis, estofados, pedaços de televisores. Isso acontece em vários pontos, mas a Rua Coronel Caetano Rocha, na Vila Yolanda, pode ser citada como um exemplo de despejo de entulhos e bagulhos.

 

Parece que agora o homem vem
O deputado Giacobo postou nas redes sociais um encontro com o ministro dos Transportes, Portos e Aviação Civil, Valter Casimiro. Segundo a postagem, estariam ultimando os preparativos para a visita do ministro a Foz, onde anunciará obras, decerto a Perimetral Leste — que, segundo o deputado, teria as ordens de serviço entregues dia 4 de abril. Tomara que o ministro se decida rapidamente, porque seu cargo voltou a ser motivo de cobiça.

 

R$ 500 milhões
Mas ao que consta, o deputado está para anunciar mais de R$ 500 milhões em obras na fronteira. Bom, pelo valor daria para fazer a segunda ponte, a perimetral, concluir a Beira-Foz e duplicar a Avenida das Cataratas até o portão do Parque Nacional. Vai ver tudo isso faz parte do pacote de promessas do deputado, visando obviamente às eleições deste ano. Normal.

 

Arranca-rabo
O jornal Tribuna Popular traz em sua última edição uma pendenga partidária entre a vereadora Nanci Rafagnin Andreola e o militante Paulinho do Asfalto. Ao que consta, a temporada de caça a Nanci ainda não chegou ao fim. Mas ela é como massa de pão, cresce mais quando apanha.

 

População em situação de rua
A Assistência Social de Foz atende cerca de 200 pessoas por mês. É muita gente ao relento, na subsistência diária por trocados, esmolas e ajuda dos transeuntes. Estes dias um cidadão pediu “qualquer coisa para comer”, disse que estava tentando voltar para casa depois de ser assaltado e que mal se aguentava de fome. O Corvo não encontrou alternativa que não fosse dar umas moedas, contrariando todas as orientações de que não se deve dar esse tipo de ajuda. Mas é ruim ver alguém passar necessidade sem nada poder fazer. Com um escopo assim, há quem não saiba explicar as invasões de edifícios que depois acabam pegando fogo.

 

Mensagem do Zóboli
O Corvo recebeu na rede social a seguinte mensagem: “Tenhamos cuidado por não praticar à fé, o senso crítico, o despertar daqueles alienados, desinformados e tomados pelo momento que satisfaz suas necessidades sem praticar à Obra da construção do saber angular do crescimento, do respeito e consideração. Ordem, Ordem para um sistema que valoriza o trabalho, que estimula o emprego e a renda, que estabelece sonhos e gerem à felicidade. Os inúmeros benefícios de garantias, bolsas de tudo, torna-se um povo vegetativo, remetendo-os as margens da pobreza e da ignorância”. Mensagem amplificada!
José Zóboli

 

Operação
Corvo, sou totalmente favorável às operações da Receita, PF, PRF, sobretudo quando recebem apoio das Forças Armadas. Também acredito que estamos numa guerra e devemos combater o contrabando de armas, munições, drogas e afins. Mas fazer isso num feriadão? Puxa vida, aí é judiar demais dos visitantes, não acha? Pensa que as pessoas já ficaram algumas horas nas filas pela cidade e depois outra fila para ir embora. Que coisa, hein?
Abraão Bezerra

O Corvo responde: as autoridades não podem marcar hora para surpreender os traficantes, não acha? E será que os serviços de inteligência não mencionaram a possibilidade de os traficantes se misturarem ao tráfego de turistas nas estradas? É uma situação delicada: se não fazem blitze, são criticados pela omissão; quando fazem são apedrejados? Assim fica difícil. O Corvo passou pelo sentido contrário, como já escreveu. Deu para notar que havia um batalhão em atividade, com uma estrutura muito grande preparada para a revista.

 

Propaganda invasiva
Corvo, vê se descobre como devemos fazer para deletar essas publicidades que entram em nossos celulares a todo momento. Sou acordada diversas vezes durante a noite com esse tipo de publicidade. Se não dei autorização para isso, não me sinto confortável em ter que aturá-las. Deve haver um modo.
Claudete M Silva

O Corvo responde: esta ave colunista também é importunada com esse tipo de “invasão”. Há sim um modo de evitar isso, mas depende de cada aparelho. Também pedimos socorro, mas ainda não deu certo. É necessário entrar em configurações, encontrar o módulo de publicidades e desativá-lo.

 

Centros de Atendimento
E o que mais é necessário fazer para que o governo conclua de vez os CATs, ou os famigerados Centros de Atendimento ao Turista, um na Avenida das Cataratas e outro nos fundos da Praça Getúlio Vargas, quase em frente ao gabinete do prefeito? E já fizeram promessas, anúncios, o jornal já cansou de fazer exercício de futurologia em nome das falácias e mentiras. Os locais já abrigaram carentes, sem-teto, sem destino, e até macumba já houve por lá. Agora o mato tomou conta dos edifícios. Obras para a Copa do Mundo do Brasil, imagina?

Share

GDIA