Foz Cataratas

Foz Cataratas vence o Joinville pela semifinal da Liga Nacional
5 de novembro de 2017
Na geral
6 de novembro de 2017

Foz Cataratas

Depois da vitória em casa, vencendo o Joinville, o Foz se firma nas semifinais da Liga Nacional e fará a segunda partida em Santa Catarina, onde a parada não será fácil. O Joinville tem o apoio maciço da torcida. A boa providência é organizar excursões e bater o cartão na casa do adversário. A campanha de estreia do Foz Cataratas já fez história na liga, e alguns jogadores estão em evidência, como é o caso do goleiro “Wolverine”. Tem gato com inveja da performance do arqueiro iguaçuense.

Corinthians e Palmeiras?
O Corvo nem quis assistir ao clássico centenário, mas pode com tranquilidade comentar que a tensão era grande pelos botecos, com gente vestindo as camisas dos times desde a semana passada. Tirando o São Paulo, que amarga uma das piores campanhas, as equipes paulistas demonstram um certo poderio no mundo da bola.

Quem dormiu aqui?
O Corvo não conseguiu ver a reportagem do Fantástico sobre hotéis estrelados que não fazem a substituição da roupa de cama na troca de hóspedes. Imagina, o viajante paga uma diária considerável, chega podre de cansado e, ao se atirar da cama, não imagina que alguém já dormiu naquele lençol. Sacanagem da mais pura. Aliás, isso é uma constante nos motéis inclusive. O Corvo fez uma pesquisa, e pessoas ligadas ao setor das camareiras garantem que alguns hoteleiros orientam a troca de lençóis a cada três ou quatro dias, mas em geral para o mesmo hóspede. Quer dizer que em Foz quem se hospeda nos nossos luxuosos hotéis corre o risco de usar a mesma roupa de cama durante toda a estada.

Movimento
Disseram para este Corvo que, apesar das notícias festivas, o movimento em Foz não foi aquela Brastemp. Mas o iguaçuense pôde atestar isso só pelo movimento no eixo turístico. A Avenida das Cataratas, por exemplo, estava muito tranquila o tempo todo, sem que os moradores precisassem desviar pelas vias paralelas. Vamos conferir os números de perto.

Surpresinha
Mas o Corvo ficou sabendo que a equipe do Fantástico andou pela fronteira testando os lençóis e travesseiros. Fizeram isso em vários polos hoteleiros, e a intenção é colaborar com uma estada de excelência por parte dos hóspedes. E vale muito a pena blitze assim, pois é grande o esforço para manter Foz no topo da preferência dos visitantes.

Plantação
Dinheiro escondido em carregamento de alface? Bom, nada melhor que disfarçar as verdinhas no meio de um caminhão de verdinhas! A trama foi descoberta na Rodovia Régis Bittencourt, próximo a Curitiba, mas ganhou destaque na capa deste jornal porque o destino era Foz do Iguaçu. Pensa na possibilidade de ir comprar um pé de alface na quitanda do bairro e no meio da hortaliça encontrar notas de dólares! Imagina? Haja criatividade, hein, até para transportar valores, mas o faro da Polícia Rodoviária Federal foi mais forte que a intenção de quem enviou a grana. Taí uma boa pergunta: para o que enviariam tanto dinheiro?

Muita grana
Que é para ver que além de cuidar do trânsito, dos apressadinhos e da segurança dos usuários nas estradas brasileiras, a PRF ainda lida com a fiscalização das cargas e vira e mexe descobre irregularidades como contrabando de produtos, armas, munições, drogas e medicamentos. E o caminhão que transportava alho, além da alface, decerto para disfarçar o cheiro da grana, carregava quase R$ 12 milhões, a maior apreensão em dinheiro da história da corporação. Na comparação só perde para as malas de dinheiro num certo apartamento, em tarefa da Polícia Federal. Dos R$ 12 milhões, oito milhões eram notas de real e 1,2 milhão, dólares. Há a desconfiança de que o dinheiro seria para quitar a compra de armas e munições ou de drogas. Detalhe, se vinha dinheiro no meio das hortaliças, voltavam os bagulhos. Que barbaridade!

Itaipu azul!
Na última sexta-feira, a muralha de concreto azulou por completo. Assim Itaipu aderiu ao tom da campanha Novembro Azul, esclarecedora quanto à prevenção do câncer de próstata. Aquele imenso “cenário” é iluminado pelos 747 refletores e 112 luminárias que fazem normalmente o show da Iluminação da Barragem, um dos nossos grandes atrativos. Vale lembrar aqui, na irreverência do Corvo, que o trabalho original foi realizado pelo mago das luzes Peter Gasper, o lighting designer pioneiro desta arte no Brasil. Peter nos deixou em 2014. Segundo o Corvo apurou, há uma troca de lâmpadas para ilustrar as campanhas, o que mostra que Itaipu está a cada dia mais sensível aos apelos.

Sem mudanças
Os juízes eleitorais de Foz do Iguaçu decerto respiram mais aliviados. A cidade não perderá duas zonas eleitorais por força de decisão tomada pelo ministro Gilmar Mendes. Os municipalistas venceram. No Paraná tudo ficará igual.

Provopar
A prefeitura está tentando atenuar o estrago que foi deixado no Provopar. Aliás, onde foi que o governo Reni não deixou a sua triste marca? O negócio não é deixar os assistidos pela ONG na mão. Eles não podem ser penalizados pela incompetência dos gestores públicos.

Natal de 400 mil
Os vereadores aprovaram na última sessão um crédito suplementar para dar apoio ao Natal das Cataratas. Bem que poderiam incrementar a ideia da ex-prefeita Ivone de enrolar cordões iluminados nas árvores das ruas do centro. Foi uma solução barata e que ficou muito bonita. Diga-se, foi a melhor sacada dos últimos anos.

Paulo Mac “Ofídico”
Em seu programa matinal aos sábados, Paulo Mac Donald despejou uma parte considerável de seu veneno contra a administração do ex-aliado Chico Estrangeiro, ops, Brasileiro. Se a peçonha escorreu dos estúdios para a água das chuvas, os reservatórios da Sanepar podem estar contaminados a esta altura!

Vingança
Durante a semana, Paulo já atiçou a audiência por meio de notas no jornal Tribuna Popular, do seu “arquiamigo” Henrique Aliana; o Corvo também deu canja. Semelhante às pragas da Malévola, Mac só falta arranjar uma encruzilhada para fazer uma macumba, pois vodu do Chico, para encher de agulhas, ele já deve possuir. O Corvo conclui, pois durante a semana Chico estava conversando com o povo do Hospital Municipal e, do nada, levou a mão às costas e depois à perna, dizendo que sentia umas pontadas. Nada infeliz era o Paulo enfiando agulhas no seu bonequinho! Também, quem mandou contratar aqueles advogados e tomar o pirulito do Mac?

E vem bronca…
Segundo o Corvo apurou, Paulo destila o veneno em razão de informações no campo jurídico, por meio de novas decisões que estariam para eclodir. Bom, para começo de conversa, o que eclode é ovo de dinossauro, e os processos do Paulo não são muito diferentes. O que já foi algo bem cabeludo está, agora, de certa forma cercado de fragilidades, e isso pode reacender a luta para reconquistar a prefeitura. No geral, o fato é que ele considera que lhe roubaram a cadeira no Palácio Cataratas, logo o inconformismo tem lá as suas justificativas. Mas de uma maneira ou de outra parece ser uma longa luta e pode ser inglória. O Corvo está aqui para narrar!

Feijoada do Elson Marques
O sábado estava molhado. Começou com um pé d’água e ao longo do dia caiu aquela chuvinha boa para dormir. E para sacramentar o sono nada melhor que uma feijoada, sobretudo pelo ar fresco que se fez. O Corvo deu um jeito de providenciar um banquete no almoço: mandou um emissário buscar a suculenta e completa feijoada que o jornalista Elson Marques faz em casa (juntamente com a família) e distribui aos amigos a valores muito generosos, praticamente o custo dos produtos. Acontece que a feijoada é “cinco estrelas” e está tornando-se uma iguaria para muitos aos sábados. O Corvo dá a dica gastronômica, e interessados devem ligar… Trabalhar no tradicional prato da culinária brasileira — e aprimorá-lo — foi uma maneira de ajudar na complementação da renda e na formação dos filhotes, sendo assim é uma causa das mais nobres. Então experimentem a feijoada do Elson Marques!

El Gran Capy


O livro é envolvente, emocionante, uma história linda. Tive a honra e o privilégio de ler bem antes da publicação. Mesmo sabendo que o conteúdo evoluiu bastante, com o toque da Geração Editorial, minha conclusão é que Patrícia Iunovich passou o comando das mãos para o coração ao escrever uma obra tão sensível. Além do mais, “as fantásticas aventuras de um motociclista na Muralha da Morte” nos dão uma dimensão da muralha que é a vida, ao precisar ser suplantada de cidade em cidade, levando junto a família, na alimentação de um sonho cuja premissa é propagar a alegria, o espanto e a emoção nas pessoas. A autora prestou uma imensa homenagem ao pai, Antônio Francisco Iunovich, na justeza de quem a homenageou com a vida. Paty devolveu em grande estilo! PS: estará nas livrarias a partir de amanhã (terça-feira, dia 7).
Rogério Romano Bonato

O Corvo responde: seu Antônio, o “Capy”, foi um personagem muito conhecido na cidade, especialmente quando possuiu o lava-rápido lá pelas bandas da Avenida Felipe Wandscheer, nas proximidades do cemitério. O Corvo lavava a moto lá. O “Capy” era um dos poucos que sabiam lavar e, de quebra, dava uma regulada nos motores das motocas, porque os conhecia melhor que ninguém, afinal praticamente nasceu em cima de uma moto. Em certa ocasião, ele desmontou completamente a moto do Corvo, e ela saiu do lava-rápido como fosse da fábrica. Merecedora a homenagem da Paty.

Falar em homenagem…
Muitos agraciados com o título de Cidadão Honorário de Foz do Iguaçu, por iniciativa, recebem as pessoas para um coquetel ou confraternização após a cerimônia. Os amigos de Rogério Bonato estão preparando algo inusitado. Durante a semana, o Corvo dará mais detalhes. Bonato receberá o título no dia 20 deste mês, às 19 horas, no plenário da Câmara.

O Paraguai e as maquilas
Quando surgiu a ideia das maquilas no Paraguai, muita gente meteu o pau e tentou emplacar uma onda de descrédito. Estão indo de vento em popa no Paraguai. A realidade é que o setor é redentor, gera atualmente 13.551 empregos diretos, número que cresce algo em torno de 14,4% a cada período. O setor de maquilas deve fechar 2017 com US$ 400 milhões em exportações.

 

Share

GDIA