Testemunha afirma que não havia indício de drogas no corpo de Ademir Gonçalves

Iguaçuenses vencem pelo campeonato estadual em Umuarama TAEKWONDO
13 de março de 2018
O sonho da integração da América Latina não está sepultado, diz Lula
13 de março de 2018

Testemunha afirma que não havia indício de drogas no corpo de Ademir Gonçalves

Um ano e três meses após a morte do vendedor Ademir Gonçalves Costa, o caso segue sem respostas concretas sobre o que de fato aconteceu no dia 28 de janeiro de 2017, durante uma abordagem realizada por servidores da Receita Federal na aduana da Ponte Internacional da Amizade. Diversos laudos e muitas vertentes, mas nenhum foi capaz de definir até o momento qual teria sido a verdadeira causa mortis da vítima, apontada preliminarmente como intoxicação exógena. Na tarde de ontem (13) os advogados de defesa da família, Almir Santos, André Vitorassi e Wilson Neres convocaram uma coletiva de imprensa para esclarecer o andamento do processo. Na oportunidade também foi apresentada uma testemunha que teria auxiliado na preparação do corpo. O depoimento, segundo os advogados, pode mudar o rumo das investigações. (Andressa Ferreira /Foto: Arquivo)

Share

GDIA