Operação Pecúlio: Acusado de chefiar organização criminosa foi preso pela primeira vez por fraudar vestibular

Concurso Meninas Veneno elegeu a “Onça Valentina”como campeã
13 de fevereiro de 2018
Cai desigualdade salarial entre homens e mulheres no Paraná
13 de fevereiro de 2018

Operação Pecúlio: Acusado de chefiar organização criminosa foi preso pela primeira vez por fraudar vestibular

O maior defensor da moral e dos bons costumes dentro da Câmara Municipal de Foz do Iguaçu até o dia 16 de janeiro deste ano, data em que foi deflagração a oitava fase da “Operação Pecúlio”, não conheceu as celas de uma cadeia somente após ser apontado pelo Ministério Público Federal (MPF) como chefe de organização criminosa criada para desviar dinheiro da Saúde pública da cidade. De acordo com o próprio Dr. Brito, sua primeira experiência atrás das grades se deu aos 22 anos, em 1986, oportunidade em que fora descoberto pelas autoridades prestando vestibular em favor de uma terceira pessoa. A informação foi compartilhada durante depoimento do político à Polícia Federal (PF). Segundo o parlamentar que não apresentou maiores informações sobre o caso, o processo terminou arquivado. Ainda em seu depoimento, Brito rechaçou todas as acusações imputadas a ele por meio de uma ação controlada pelo MPF que contou com a participação de um colaborador da Justiça. (Bruno Soares – reportagem/Foto: Divulgação)

Share

GDIA